Como montar um brechó: dicas, impacto da moda e muito mais

9 minutos de leitura
Cabide de roupas com placa em que se lê "Brechó" na frente
Navegue pelo conteúdo

Saber como montar um brechó é indispensável para quem busca empreender no setor de moda circular.

Segundo o relatório Resale Report 2023, elaborado pela empresa ThredUP, projeta-se que o mercado global de roupas usadas atingirá a marca de US$ 70 bilhões até 2027.

Muito interessante, não é mesmo?

Uma busca tão intensa por brechós justifica-se pela valorização dos hábitos de consumo consciente e também pelo drástico aumento dos preços nos setores de vestuário.

Para aproveitar a crescente demanda por roupas de segunda mão, venha com a gente e saiba tudo sobre como montar um brechó!

Por que vale a pena descobrir como montar um brechó?

Montar seu próprio brechó é uma das maneiras mais práticas e rentáveis de empreender. Considerando a crescente popularidade do setor de usados, quanto antes você se organizar, maior será seu aproveitamento dessa tendência mundial.

Vale observar que a importância dos brechós vai além da simples oferta de itens de roupas a preços acessíveis. 

Sobretudo, os estabelecimentos de vestuário usado representam uma alternativa sustentável aos impactos agressivos da indústria da moda no meio ambiente. 

Portanto, para entender melhor o contexto de valorização dos brechós, é preciso analisar os principais problemas vinculados à produção têxtil.

O impacto da moda no meio ambiente

A produção das peças de vestuário é responsável por 8% da emissão de gás carbônico na atmosfera, ficando atrás apenas do setor petrolífero. 

Além disso, acredita-se que o segmento seja o segundo maior consumidor de água, responsável pelo consumo de aproximadamente 1,5 trilhões de litros por ano, segundo a Global Fashion Agenda.

Inúmeros outros problemas ambientais também são causados pelos resíduos industriais sem tratamento adequado, assim como pelo acúmulo de lixo gerado pelo descarte de roupas não vendidas.

Portanto, o consumo desenfreado de novas vestimentas alimenta a constante exploração e degradação dos recursos da natureza.

Empreendedorismo sustentável: 5 exemplos para sua MEI.

O impacto da moda nos animais

Uma das maiores polêmicas da indústria da moda é o uso de materiais de origem animal obtidos de maneira ilegal e violenta, como casacos de pele, lenços de seda e adereços de plumas.

A campanha elaborada pela organização das Pessoas pelo Tratamento Ético dos Animais (PETA) resume perfeitamente a situação:

“A beleza muitas vezes cega as pessoas da crueldade”.

O impacto da moda em questões sociais

Por fim, mas não menos impactante, a indústria de vestuário está frequentemente relacionada a denúncias de condições de trabalho análogas à escravidão, bem como de uso de mão-de-obra infantil.

Com o intuito de reduzir os custos de produção, inúmeros empreendimentos de “fast fashion” criam unidades fabris ilegais, mantendo sob cativeiro milhares de pessoas submetidas a exaustivas jornadas de trabalho mal remuneradas.

Os impactos negativos são assustadores, não é verdade? Nesse contexto, entenda agora como os brechós quebram o ciclo de exploração ambiental e social promovido pela indústria da moda.

Consumo consciente e compras em brechó

Antes de descobrir como montar um brechó, você precisa conhecer mais sobre o consumo consciente. Esse movimento vai contra as fast fashionmarcas que produzem muitas coleções de roupas ao ano e de baixa qualidade.

A proposta é sempre se perguntar “será que realmente estou precisando disso?” antes de comprar qualquer item de vestuário.

Vale ressaltar que esses hábitos não valem unicamente para roupas — podem ser aplicados a qualquer tipo de compra.

Assim, o brechó está totalmente alinhado à proposta de consumo consciente: uma vez que o reaproveitamento de peças antigas reduz a demanda por roupas novas, leva as indústrias a reduzirem seu ritmo de produção.

Além do mais, é muito comum encontrar em brechós peças com qualidade superior, com vida útil mais longa que muitos itens novos.

Ficou animado em abrir seu próprio estabelecimento de roupas usadas?

Então confira 7 dicas imperdíveis para empreender neste setor!

Como montar um brechó? 7 dicas para empreender

Para facilitar sua vida, listamos as melhores sugestões para você abrir um brechó de sucesso.

Vamos lá!

1. Montar um brechó é diferente de desapegar de peças

Uma ótima forma de conseguir uma renda extra é desapegar de algumas peças que você tem paradas no seu guarda-roupa, certo? Isso pode até ser um começo para entender o seu sonho, mas não é como se monta um brechó.

Iniciar um brechó é como abrir uma loja de roupas (ou de sapatos ou de quaisquer outros objetos de segunda mão que você tenha em mente).

A energia que você gastará será muito maior, assim como o investimento e tempo, do que apenas passar adiante algumas roupas usadas.

2. Saiba o motivo de você querer abrir o brechó

Abrir um brechó exige propósito e conhecimento.

Boa parte do seu público-alvo estará em busca de compras mais conscientes, e por isso é fundamental que você saiba os impactos da moda e o porquê de seus consumidores irem até você.

Abrir um brechó simplesmente porque é legal ou está em crescimento não será suficiente para garantir o seu sucesso como empreendedor. Entenda qual é a motivação por trás do seu sonho.

3. Descubra qual será seu nicho

Você pode, sim, montar um brechó sem um nicho de mercado bem definido. Porém, como fazer para se destacar da concorrência nesse caso?

Escolher trabalhar com um segmento específico pode te ajudar a se tornar referência no assunto e ser sempre buscado por aquilo.

Já alternativas mais genéricas dividem bastante a procura. Claro, isso depende muito dos seus objetivos, dos seus sonhos e da região em que você irá trabalhar, afinal, você precisa considerar qual será a sua demanda.

Você pode apostar em diversos nichos, como brechós de luxo, plus size, roupas de festa, entre outros. O For Boy Brechó é um exemplo voltado para o nicho masculino.

4. Entenda seu público-alvo

Depois de definir qual será o seu nicho, você precisa conhecer o seu público-alvo, ou seja, conhecer para quem você vai vender.

Saber essa resposta permitirá definir diversos direcionamentos, tanto na hora de escolher as peças que deseja vender quanto para fazer a divulgação.

Assim como comentamos acima, outra marca que também trabalha com o público masculino é a Hombrechó. Conhecendo quem são seus consumidores, esse brechó sabe exatamente o que proporcionar para cada pessoa que comprar com eles.

5. Faça o planejamento do seu brechó

Sem planejamento, a chance do seu brechó fechar em poucos anos é muito alta — e um empreendedor sabe que não pode só contar com a sorte para ter sucesso.

Por isso, uma das principais dicas de como montar um brechó é criar um plano de negócio. Esse documento vai guiar decisões importantes ao longo do caminho.

Portanto, antes mesmo de sair escolhendo as peças ou descobrindo qual é o melhor lugar para vender, pesquise, estude e planeje muito, inclusive sobre finanças.

6. Capriche muito nas fotos

Seja para o seu brechó online ou apenas para publicidade nas redes sociais, uma coisa é essencial: fotos.

Engana-se quem pensa que é preciso muito investimento para fazer boas fotografias que vendem muito. Você consegue fazer isso na sua casa e com o seu celular, basta conhecer alguns truques.

Veja como tirar fotos de produtos para vender!

7. Formalize o negócio

Para começar bem, é importante que você busque a formalização do seu brechó. Além das vantagens financeiras, você também garante o acesso a vários benefícios de seguridade social, como veremos no próximo tópico.

Para escolher o tipo de CNPJ mais adequado, você precisará analisar uma série de características da futura empresa, como faturamento anual esperado e número de funcionários a serem contratados.

Tem como montar um brechó sendo MEI?

Uma das categorias mais populares é a de microempreendedor individual (MEI), a menor modalidade empresarial no país. Com ela, você poderá contratar um funcionário e faturar no máximo R$ 81 mil por ano.

Para abrir o seu CNPJ MEI, você precisará informar qual é a sua atividade principal, ou seja, o seu CNAE. O mais indicado para montar um brechó é o CNAE 4785-7/99 — Comerciante De Artigos Usados.

Uma vez criado o CNPJ, o MEI irá contribuir mensalmente com uma carga tributária reduzida, garantindo seu acesso aos benefícios do INSS, como auxílio-maternidade, auxílio doença e aposentadoria.

E as vantagens de ter CNPJ MEI não param por aí!

E muito mais!

Como montar um brechó pelo MEI?

O primeiro passo para criar um brechó é criar sua conta na plataforma gov.br para acessar o portal unificado de serviços públicos digitais.

Em seguida, será preciso criar o CNPJ, podendo ser utilizado o Portal do Empreendedor.

Se você é fã da praticidade, saiba que com o aplicativo MEI Fácil por Neon você cria seu CNPJ em poucos minutos, diretamente pelo celular.

Para usar o app MEI Fácil por Neon, siga o passo a passo:

  • Faça o download do app;
  • Efetue o login com seus dados de acesso da conta gov.br;
  • Preencha seus dados pessoais, como endereço de residência, CPF e os números do recibo da DIRPF dos últimos dois anos — pode utilizar o Título de Eleitor se você nunca tiver declarado o Imposto de Renda;
  • Preencha os dados do empreendimento, como endereço e nome fantasia;
  • Não se esqueça de incluir o CNAE 4785-7/99 — Comerciante De Artigos Usados como atividade principal;
  • Para as demais atividades secundárias, lembre-se que você pode incluir até 15 opções, desde que todas estejam na lista de CNAEs autorizados para MEI;
  • Revise os dados inseridos e confirme a solicitação;
  • Seu CNPJ será gerado automaticamente, bem como seu Certificado de Condição do MEI (CCMEI) e inscrição estadual.

Como higienizar roupas de brechó?

Antes de disponibilizar as roupas para venda, é preciso aplicar procedimentos de limpeza e sanitização.

Em primeiro lugar, é necessário avaliar o material de confecção das peças para higienizar corretamente. A maioria dos tecidos pode ser lavada normalmente nas máquinas, utilizando água e sabão apropriado.

Ademais, é comum adicionar pequenas quantidades de vinagre junto às roupas para auxiliar na desinfecção dos itens.

Atente-se, no entanto, às peças com veludo, couro, paetê e demais materiais frágeis: estas roupas precisam necessariamente ser lavadas à mão.

Para isso, é possível usar água e bicarbonato de sódio. Acondicione a mistura em um borrifador e aplique nas roupas, evitando encharcá-las. 

Existe também a possibilidade de lavagem a seco. No entanto, se as vestimentas possuírem outras restrições específicas, vale a pena levá-las aos estabelecimentos de lavagem especializada.

Como precificar roupas de brechó?

A resposta é clássica: depende das marcas que você irá vender, da qualidade das peças e, principalmente, de como será sua curadoria.

A curadoria de um brechó pede que você vá atrás de peças em bazares, compre as melhores e as que estão dentro do perfil da sua loja, faça o tratamento necessário nelas (como reformas e higienização), e assim por diante.

Com esse procedimento, o seu brechó se diferencia e demonstra profissionalismo e seriedade. Como consequência, você poderá cobrar um valor maior, que inclua a peça e a sua mão de obra.

Além disso, se você abrir um brechó online, por exemplo, deve levar em consideração a estrutura de uma loja online ou a comissão ou aplicativos de vendas.

Veja como precificar um produto!

Canais de venda para brechó

Você já sabe por quais motivos decidiu abrir um brechó, já conhece as principais dicas de como abrir um brechó e sabe o quanto deve cobrar por suas peças.

Agora, onde você irá vender?

Loja colaborativa

As lojas colaborativas são ótimas oportunidades para quem está começando e tem o sonho da loja física.

Essa é uma forma de apresentar sua marca ao público com um investimento menor e em um lugar que já tem um público-alvo presente.

Afinal, trata-se de um ambiente físico compartilhado por diferentes comércios e faz parte da economia colaborativa.

Um exemplo é a Endossa, uma loja colaborativa presente em algumas cidades do Brasil. 

Loja física

Para montar sua loja física, vale a pena caprichar no planejamento financeiro empresarial, contando com todos os possíveis gastos e despesas, incluindo contas de aluguel, luz, água, internet, entre outras.

Além disso, para ter ainda mais diferencial no seu brechó, vale apostar com força na decoração da sua loja.

Veja o exemplo do Brechó El Gato, de São Paulo.

Brechó online

Se o seu sonho inclui vender para todo o Brasil, você pode apostar nos brechós online, utilizando sua própria plataforma ou sites de e-commerce.

Atuar nos ambientes digitais é cada vez mais uma necessidade para os empreendimentos, uma vez que os muitos consumidores preferem a modalidade online de compras.

Veja o exemplo do Brechó Live in 90’s, cuja operação é totalmente digital.

Redes sociais

Outra alternativa bastante indicada para quem está começando é vender pelas redes sociais. O Facebook, por exemplo, tem o F-commerce, o e-commerce exclusivo da própria rede social.

O Instagram também tem uma aba exclusiva para comerciantes, onde você pode vender suas peças garimpadas.

Feiras de brechó

Já pensou em vender em feiras de brechó? Pode ser sua única fonte de renda, mas o perfeito mesmo é alinhar este canal de venda a um outro dos anteriores.

Cada cidade tem as suas feiras específicas, que podem durar vários dias ou ser mais esporádicas, representando ótimas oportunidades de venda.

Afinal, é um ambiente aberto que traz gente de todo lugar para conhecer a sua marca — e tantas outras, ou seja, bastante concorrência. Para participar como expositor, você precisa se atentar aos prazos de inscrição.

E, para se destacar, vale dar uma atenção especial ao atendimento ao cliente e a forma como você expõe os seus produtos.

Veja o exemplo da Feira Novo do Novo, uma feira de brechós que acontece desde 2018 em São Paulo.

Como administrar um brechó?

Para garantir a longevidade do seu empreendimento, algumas boas práticas de gestão administrativa devem ser seguidas:

Vale lembrar que a elaboração de boas estratégias de marketing é essencial para a captação de novos clientes, bem como a posterior fidelização dos consumidores.

E aí, já tem planos para sua microempresa? Para estar por dentro de todos os assuntos de empreendedorismo, confira os demais conteúdos do blog MEI Fácil por Neon!

Inscreva-se também na TV MEI Fácil e siga as redes sociais para não perder nenhuma novidade: Instagram e Facebook.

O que você achou deste artigo?

Clique nas estrelas

Média da classificação 4.3 / 5. Número de votos: 4

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Tags:
Vale a pena ler