Entender como fazer um plano de negócios permite a você utilizar uma ferramenta muito eficaz de orientação ao empreendedor com relação à situação atual e futura da empresa.

Trata-se de um documento detalhado no qual você pode fazer projeções e entender todo o contexto em que sua empresa atua.

E isso vale também para o MEI, viu? Ainda que esteja à frente de uma empresa muito pequena, o microempreendedor individual sai ganhando quando recorre a esse instrumento

Acontece que muitos gestores se sentem perdidos sobre o futuro do negócio, o que atrapalha a tomada de decisões — e isso pode ser um sinal de falta de planejamento.

Para não errar, é preciso pensar na estratégia. Então, siga a leitura e aprenda a fazer!

Como fazer um plano de negócios para MEI?

De forma resumida, se você ainda não sabe como elaborar um plano de negócios, as principais etapas são:

  • Sumário executivo de uma empresa;
  • Análise do mercado, nicho de atuação do negócio e público-alvo;
  • Planejamento das estratégias de marketing;
  • Definição do plano operacional e financeiro;
  • Previsões de cenários que podem ocorrer nos próximos meses.

Vamos explicar os detalhes sobre cada uma delas ao longo do conteúdo.

Antes, vamos entender exatamente que documento é esse e por que o MEI precisa dele.

O que é um plano de negócios?

Plano de negócios é um documento que elenca as principais informações sobre uma empresa: objetivos, metas, concorrentes, mercado, fornecedores, produto, orçamento, pontos fortes e fracos e o que é preciso fazer para o negócio crescer.

Você pode imaginar o plano de negócios como um “mapa” da sua empresa, mostrando todos os caminhos que poderão ser seguidos para os lucros esperados serem alcançados.

Além disso, por meio dele, é possível estabelecer prazos para as metas serem atingidas.

Também identificar previamente quais possíveis problemas podem surgir para eles serem contornados antes que as ações de fato sejam colocadas em prática, evitando assim perda de capital.

Importante ressaltar que esse documento ajuda no planejamento de uma empresa que ainda será aberta quanto para aquelas que estão em processo de expansão ou apenas desejam se organizar melhor.

É de organização que sua empresa precisa? Confira dicas!

Qual a diferença entre plano de negócios e modelo de negócio?

Muitas pessoas confundem os conceitos de planos de negócios e de modelo de negócios. Vamos entender as diferenças?

O modelo de negócio é a maneira como uma empresa fatura e o modo como é administrada. Diz respeito às formas de obtenção de receita, o que ela oferece e para quem.

Além disso, é proposto para entregar e gerar valor ao cliente.

Alguns exemplos de modelos são as franquias, clubes de assinaturas, e-commerces e lojas físicas, para os quais existe uma forma específica de gerenciamento.

Um método bem conhecido de modelo de negócio é o Canvas, que surgiu da ideia dos empreendedores Alex Osterwalder e Yves Pigneu.

Este modelo abrange questões como: atividades essenciais da empresa, proposta de valor, relacionamento com clientes, atividades-chave, entre outros.

Já o plano de negócios tem por objetivo identificar quais serão os instrumentos necessários para sua empresa sair do papel ou para alcançar determinados objetivos.

Ele contém previsões financeiras e serve de apoio ao modelo de negócio. Trata-se de um documento detalhado no qual estarão descritas todas as fases e etapas relacionadas ao negócio.

Ele é mais longo que o modelo de negócios e a estrutura é mais complexa.

Saiba como abrir o seu primeiro negócio!

Para que serve um plano de negócios?

O plano de negócios é importante, pois permite que as empresas coloquem no papel todas as informações referentes à consolidação de ideias, bem como tenham mais clareza sobre os dados e números para decisões serem tomadas com mais assertividade.

Dessa forma, é possível ter uma visão macro sobre o que é o negócio, quais são os possíveis caminhos a serem seguidos, além de quais erros podem acontecer e o que fazer para evitá-los.

O plano de negócios pode ser utilizado, por exemplo, para trazer as projeções futuras da empresa ao tentar conseguir um empréstimo.

Outra utilidade aparece ao traçar estratégias para a empresa e apresentá-las para sócios, colaboradores e também possíveis investidores, de modo que todas as informações fiquem centralizadas em um só lugar.

O documento pode ser revisitado a qualquer momento para verificar se os caminhos traçados estão sendo seguidos e, caso não, corrigir a rota para os objetivos serem atingidos como era esperado durante o planejamento.

O fato é que o plano de negócios fornecerá uma visão completa e precisa sobre a empresa e apontará se ela é viável ou não.

Assim, você evita o risco de perder o dinheiro investido em uma ideia que talvez ainda não esteja madura o suficiente para se consolidar.

Resumindo, os principais benefícios do plano de negócios para qualquer empresa, incluindo o MEI, são:

  1. Consolidar suas ideias;
  2. Ter clareza de dados para tomadas de decisões;
  3. Oferece uma visão macro do seu negócio;
  4. Permite traçar estratégias para sua empresa;
  5. Correção de rota antes de possíveis erros;
  6. Ajuda a evitar o risco de perder dinheiro investido;
  7. Revisão e acompanhamento.

Inclusive, começar ou dar andamento a uma empresa sem ter um plano de negócios estruturado é um dos principais erros cometidos pelo MEI.

Passo a passo para fazer um plano de negócios

Vamos ver agora como fazer um plano de negócio na prática?

A ideia é que o empreendedor conheça a situação atual do negócio para saber se ele é viável economicamente e serve como um guia para ações futuras.

Acompanhe o passo a passo!

1. Sumário executivo de uma empresa

O sumário executivo de uma empresa deve conter os detalhes sobre o que é o seu negócio e sua missão, qual será o produto/serviço ofertado para os clientes e quais os seus diferenciais em relação à concorrência.

Essa parte do documento deve apresentar a empresa de forma sucinta e objetiva.

A dica é que você a escreva por último, pois você já terá as demais informações em mãos.

2. Análise do mercado, nicho de atuação do negócio e público-alvo

Nesta etapa, é preciso detalhar qual o seu mercado e nicho de atuação para traçar estratégias e identificar os seus principais concorrentes. Comece fazendo uma pesquisa sobre o mercado e uma análise de concorrência.

Dessa forma, será possível entender quais são os pontos fortes e fracos dessas empresas e seus respectivos produtos, e responder à pergunta:

“Por que meus clientes deveriam escolher a minha empresa e não o meu concorrente?”

Além disso, nesta parte, o plano de negócios também é importante detalhar quem serão os seus clientes, seus hábitos de compra e características do seu público-alvo.

Por exemplo, se você quer vender marmitex veganos, o seu público-alvo não é o mesmo de quem vende marmitas carnívoras.

Nesse caso, o seu público pode ser pessoas que apoiam e investem no empreendedorismo sustentável.

Da mesma forma, se você quer trabalhar com fotografia e fugir do óbvio para se destacar da concorrência, talvez seu nicho possa ser a comunidade LGBTQIA+. E assim por diante!

Dica: para ter mais clareza sobre a sua área de atuação e seu público-alvo, é importante fazer uma pesquisa de mercado para basear as informações em dados assertivos e não apenas em percepções pessoais.

3. Planejamento das estratégias de marketing

O passo seguinte é pensar na divulgação da sua marca. Afinal, como os seus clientes saberão da existência da sua empresa caso não haja nenhuma divulgação?

Para isso, você pode começar com os 4 Ps do Marketing: Produto, Preço, Praça e Promoção. Ao detalhar essas informações, você já terá uma estratégia de vendas bem embasada para iniciar suas ações para atrair mais clientes.

Além disso, conhecendo seu público-alvo, você saberá quais as melhores redes sociais para divulgar seus produtos e serviços.

A geração Z (nascidos a partir de 1995) está muito presente no TikTok.

Já o Instagram conta com mais de 120 milhões de perfis cadastrados no Brasil em todas as faixas etárias.

O F-commerce é uma ótima oportunidade para quem quer vender no Facebook, e ainda é possível se destacar na rede social Pinterest.

5. Definição do plano operacional e financeiro

Como fazer um plano de negócio envolve o futuro do empreendimento, a análise das finanças é um de seus pilares.

Ao elaborar um plano, é essencial detalhar toda a parte operacional e financeira da empresa.

Para começar, faça uma descrição detalhada do funcionamento do negócio.

Documente onde a empresa estará localizada, seja um endereço físico ou virtual, e também quais serão os recursos necessários para ela começar a funcionar, como computadores, matérias-primas, fornecedores e logística.

Já na parte financeira, faça uma previsão de faturamento mensal, defina qual a margem de lucro esperada e estabeleça um prazo de retorno dos investimentos iniciais.

Aprenda aqui como calcular o seu potencial de lucro!

Aqui também é importante começar a estruturar o planejamento financeiro da empresa, criar um fluxo de caixa e definir qual o capital de giro necessário para manter o negócio funcionando caso as vendas caiam, ocorra uma crise ou aconteça qualquer eventualidade que possa impactar o orçamento.

6. Previsões de cenários que podem ocorrer nos próximos meses

Com seu plano de negócios em mãos, a próxima etapa é analisá-lo e fazer projeções:

  • Sobre o que fazer quando a empresa estiver indo bem;
  • Qual caminho seguir caso o cenário não esteja tão positivo quanto o esperado.

Assim, o documento permitirá que você defina ações importantes de curto, médio e longo prazo e esteja preparado para as mais diversas situações.

Lembre-se de que a sua elaboração não é garantia de sucesso, mas representa um grande passo nessa direção.

7. Revisão e acompanhamento

A revisão e acompanhamento são etapas que precisam ser realizadas com certa periodicidade, de modo a adaptar as dificuldades ou o crescimento da empresa aos diferentes cenários que surgem.

Por exemplo, a conjuntura econômica do país pode passar por mudanças e isso pode ter impacto sobre a empresa.

Se ocorrer alguma mudança na legislação tributária e na forma de recolhimento de impostos sobre determinados produtos, pode ser que essa alteração torne inviável a comercialização daquele produto.

Então, você precisará ajustar o plano de negócios para avaliar que outros produtos podem ser incluídos ou substituídos na sua esteira.

Outro exemplo é no caso de haver a necessidade de delegar tarefas ou contratar um novo funcionário com o crescimento da empresa. Logo, os custos precisam estar previstos no plano de negócios.

Além disso, pode ser que o seu principal fornecedor deixe de atuar no seu nicho ou que algum concorrente esteja com maior destaque, entre outros fatores.

Revisar o plano de negócios contribui para reduzir riscos, encontrar novas oportunidades e fazer adaptações que orientem os rumos da empresa, de forma a evitar erros que possam ser prejudiciais à organização.

Entenda a importância de aprender com os próprios erros na gestão da empresa.

Por que o MEI também precisa de um plano de negócios

Como a gente destacou lá no início, o MEI também precisa de um plano de negócios.

Contar com esse instrumento ajuda o microempreendedor a acompanhar ao longo do tempo as despesas e os custos da empresa.

Ele saberá quais investimentos serão necessários para o negócio alcançar outros patamares e que ações precisa desempenhar para essa finalidade.

É uma forma de manter a organização em diferentes áreas, além da financeira e das previsões de lucro para os anos seguintes.

Envolve também estratégias de marketing e de vendas, entre outras, de modo que você trabalhe com dinamismo e faça sempre novos testes para entender o que funciona e o que precisa ser melhorado.

Por fim, o planejamento traz mais previsibilidade e evita que você se sinta perdido em relação aos rumos do negócio.

Agora, você já sabe o que é, porque é tão importante e como fazer um plano de negócios! Lembre-se de sempre revisitar e fazer os ajustes de rota necessários para garantir o sucesso da sua MEI.

Afinal, o plano de negócios será o mapa da sua empresa e te ajudará a tomar decisões baseadas em dados e em informações que de fato refletem a realidade do mercado.

Nesse sentido, reforçamos que o plano de negócios não deve ser feito tendo como referência suas percepções pessoais, mas sim com base em estudos e em uma análise minuciosa do seu nicho de atuação e do seu público-alvo.

Estamos aqui para ajudar você em sua jornada como MEI.

Seja para falar sobre finanças ou resolver questões relacionadas ao CNPJ, você pode contar com atendimento e suporte de qualidade de nossa equipe.

Banner com CTA para abrir a conta MEI Fácil por Neon

Inscreva-se também na TV MEI Fácil e acompanhe as redes sociais para não perder nenhuma novidade: Instagram e Facebook.