Se você é microempreendedor individual, provavelmente já ouviu falar das condições acessíveis de empréstimo para MEI.

Afinal, é muito comum as instituições financeiras concederem linhas de crédito com juros reduzidos para incentivar o pequeno comércio.

Como resultado, o empreendedor consegue realizar os investimentos necessários à expansão da produtividade da empresa.

Para ajudá-lo a compreender se empréstimo é uma opção viável para sua empresa, listamos tudo o que você precisa saber sobre este assunto.

Confira agora como funciona o empréstimo, como solicitá-lo e sugestões do que fazer com o dinheiro!

Vamos lá?

O que é empréstimo para MEI?

O empréstimo para microempreendedores individuais (MEI) é uma modalidade de crédito específica para esta categoria empresarial.

Normalmente, as instituições financeiras oferecem condições mais acessíveis para quem possui CNPJ MEI, facilitando a aquisição do capital necessário para alavancar a empresa.

Atualmente, as linhas de crédito para MEI mais utilizadas são os empréstimos convencionais ou os microcréditos, sendo que a escolha depende das demandas particulares do empreendimento.

Como funciona o empréstimo para MEI?

Basicamente, o empréstimo para MEI funciona da mesma forma que as demais modalidades.

Após uma análise criteriosa da documentação apresentada pelo titular do MEI, o banco fará uma proposta de crédito com valores baseados no perfil de risco do cliente.

De maneira geral, os empréstimos para MEI costumam ficar na faixa entre R$ 100 a R$ 20 mil, sendo que quantias destinadas ao capital de giro costumam ser menores.

Por outro lado, os valores aprovados para construção de infraestrutura tendem a ser maiores. O grande diferencial das linhas de crédito para MEI são as vantajosas condições de pagamento que serão estabelecidas no contrato.

Assim, as instituições financeiras oferecem juros reduzidos e parcelamento acessível ao empreendedor.

Vale lembrar que empréstimos de valores reduzidos são normalmente feitos na modalidade de microcrédito, que envolve menos burocracia devido ao baixo risco de inadimplência.

Precisa de quanto tempo de MEI para fazer empréstimo?

Os requerimentos para aquisição de crédito para MEI dependem de cada instituição financeira.

No entanto, de maneira geral, os bancos e fintechs pedem que o CNPJ tenha sido aberto há pelo menos seis meses.

Como solicitar empréstimo para MEI?

Confira agora o passo a passo para solicitar empréstimo MEI.

1.   Pesquise as melhores instituições financeiras

Primeiro, é importante realizar uma avaliação do mercado para encontrar as opções adequadas à sua expectativa.

Desta forma, você pode solicitar simulações a diversas instituições financeiras para descobrir o melhor tipo de empréstimo. Para visualizar melhor suas opções, você pode organizar sua pesquisa em planilhas.

Verifique também a necessidade de ser ou não correntista para adquirir o crédito — a maioria dos bancos solicita a abertura de conta, porém vale a pena conferir.

Além disso, defina seus objetivos para a utilização do dinheiro, uma vez que a maioria das modalidades de crédito exige que seja informado o destino.

Atenção: evite instituições de crédito desconhecidas e pouco avaliadas, verificando sempre se o funcionamento da empresa é autorizado pelo Banco Central.

2.   Entregue a documentação para análise de crédito

Uma vez definida a melhor instituição financeira, você precisará entregar uma série de documentos que comprovem a existência do MEI e sua respectiva regularização.

Por exemplo, é muito comum exigirem o Certificado de Condição do Microempreendedor Individual (CCMEI), que pode ser emitido diretamente pelo Portal do Empreendedor.

Nesta etapa, o banco irá avaliar o perfil de risco do seu negócio, decidindo se o crédito será ou não autorizado.

3.   Assine o contrato e receba o valor combinado

Com o crédito aprovado, a instituição apresentará o contrato de empréstimo.

Nele estarão listados os juros, taxas e demais encargos aplicados ao crédito, bem como as condições de parcelamento. Confira todas as cláusulas e assine se estiver de acordo.

Por fim, você receberá o valor do empréstimo em uma única parcela, iniciando o pagamento mensal das parcelas combinadas.

MEI com nome sujo pode fazer empréstimo?

Em circunstâncias especiais, o MEI com nome sujo consegue realizar empréstimos. No entanto, a inclusão do CNPJ ou CPF nas listas de devedores prejudica muito a credibilidade do empreendimento.

Desta forma, a maior parte das instituições financeiras consideram este tipo de empréstimo como de alto risco, uma vez que são elevadas as chances de inadimplência.

Elas podem não oferecer crédito ou só oferecer com taxas de juros muito elevadas.

O que fazer com o empréstimo para MEI?

É necessário ter muita clareza e objetividade para destinar o empréstimo adquirido. Assim, você evita gastos desnecessários e investimentos prejudiciais.

Para ajudar a elaborar o seu plano de investimento do dinheiro, listamos as principais áreas para aplicar o empréstimo:

Novos equipamentos e tecnologias

A aquisição de novos equipamentos ou ferramentas tecnológicas costuma envolver somas consideráveis, que podem estar além das capacidades financeiras de muitos empreendedores.

Desta forma, é muito comum que microempreendedores adquiram empréstimos para investir nesta área.

Recomenda-se, porém, prestar muita atenção ao custo-benefício dos materiais.

Calcule os impactos no tempo de produtividade ou qualidade do produto, avaliando se a compra de fato trará benefícios.

Investimentos em infraestrutura

Reformas e aquisições de novos espaços físicos estão vinculadas ao aumento de capacidade operacional da empresa. Assim, trata-se de uma das maneiras mais utilizadas para destinar o dinheiro do empréstimo.

É importante já estar com o orçamento da obra em mãos quando for solicitar o empréstimo, evitando posteriores surpresas quanto ao valor final oferecido pelos construtores.

Capital de giro

O empréstimo para quem acabou de abrir o MEI é, muitas vezes, essencial para manter o funcionamento da empresa até que esta consiga apresentar lucros.

Este recurso financeiro é denominado capital de giro, essencial para o empreendimento arcar com todos os gastos e despesas.

Para saber qual será o capital necessário, deve-se estabelecer um firme e detalhado planejamento financeiro empresarial.

Desta forma, ficará mais fácil visualizar e calcular a quantia necessária para manter a empresa saudável.

Alternativas ao empréstimo para MEI

Muitos empresários utilizam os créditos bancários para pagar suas próprias dívidas e compromissos com fornecedores.

No entanto, existe o risco de o empreendedor se ver em uma situação financeira ainda mais complicada, aumentando seu endividamento como uma bola de neve.

Portanto, antes de fechar um contrato de aquisição de crédito, recomenda-se que o empresário avalie algumas alternativas para aumentar seu caixa, como:

  • Campanhas de marketing: melhorar a divulgação da marca é uma estratégia para promover melhor rentabilidade, e para isso, as redes sociais são uma das ferramentas mais utilizadas;
  • Negociação dos prazos: utilizando as boas práticas de gestão de fornecedores, proponha novas datas para pagar suas compras;
  • Negociação das dívidas: em casos de grande endividamento bancário, solicite uma proposta de novos valores e taxas para evitar a inadimplência.

 

Realizando ou não empréstimos, o segredo é sempre manter uma boa organização financeira! Tome decisões prudentes e confira o blog MEI Fácil por Neon para manter-se sempre atualizado das novas tendências do mundo do empreendedorismo.

Não esqueça de se inscrever na TV MEI Fácil e seguir as redes sociais para não perder nenhuma novidade: Instagram e Facebook.