Aprender como abrir uma loja virtual pode ser o primeiro passo de uma jornada de sucesso como empreendedor.

Se você nunca pensou nessa possibilidade, veja como o e-commerce cresce ano após ano e bate recordes de vendas no Brasil.

São milhares de lojas online de todos os portes que ficam abertas 24 horas e facilitam a venda de produtos e serviços, sem limites de fronteiras.

Então, se você quer começar um pequeno negócio como MEI, saber como abrir uma loja virtual é uma grande oportunidade.

Leia até o fim e acompanhe todos os passos para se tornar um empreendedor digital bem-sucedido.

O que é loja virtual?

Loja virtual, também chamada “loja online” ou “e-commerce”, é um site empresarial que permite vender produtos e serviços pela internet.

Ele funciona da mesma forma que uma loja física, com a diferença de que todo o processo de compra é feito online, desde a escolha dos produtos até o pagamento.

Dessa maneira, os consumidores podem acessar a loja virtual, colocar itens no carrinho e finalizar a compra no mesmo ambiente digital.

É importante entender que a loja online é diferente de um perfil em um marketplace ou de uma rede social usada para vender na internet.

Em marketplaces como Mercado Livre, Shopee e Amazon, por exemplo, você pode se cadastrar como vendedor e ter sua loja em um grande shopping online compartilhado com vários outros lojistas.

Dessa maneira, você divide espaço com os concorrentes e a marca que mais aparece é a da plataforma. Além disso, é preciso pagar uma comissão ou tarifa por venda, como forma de remuneração pelo espaço concedido e por todos os recursos da loja.

Já a loja virtual é um ponto de venda só seu, onde você contrata um sistema de gestão próprio e exibe sua marca em destaque para os clientes.

Também é diferente de um perfil no Instagram ou uma página do Facebook usados para vendas, porque, nesses casos, você está usando a plataforma da rede social e não conta com meios de envio ou meios de pagamento, por exemplo.

A loja virtual é o único sistema que permite concentrar toda a jornada de compra do cliente no mesmo lugar, sem que você precise dividir espaço com outras marcas.

Vamos entender melhor como esse site funciona e quais são seus recursos a seguir.

Como funciona uma loja virtual?

Para o lojista, a loja virtual é como um ponto de venda que fica aberto 24 horas na internet.

Na hora de abrir o e-commerce, o empreendedor deve cadastrar os produtos, criar um catálogo e definir pontos importantes como os meios de envio e de pagamento disponíveis para os clientes.

Além disso, ele define como será o layout do site e quais serão os conteúdos divulgados (descrições de produtos, banners, páginas institucionais, FAQ, blog, etc.).

Quando um consumidor entra na loja virtual para comprar, ele percorre o seguinte caminho:

  • Navegar pelo catálogo de produtos;
  • Adicionar itens ao carrinho de compras;
  • Calcular o frete para entrega dos produtos (essa etapa não se aplica a serviços que são entregues online, como cursos e assinaturas de conteúdo);
  • Fazer um cadastro de cliente no site, informando nome completo, CPF, endereço, e-mail, etc.;
  • Fechar o carrinho;
  • Escolher um meio de pagamento (cartão de crédito, boleto bancário, Pix, etc.);
  • Pagar pela compra e aguardar a entrega.

No caso, o cliente é avisado sobre cada atualização do pedido por e-mail, podendo acompanhar sua entrega com o código de rastreio da transportadora.

Do lado do empreendedor, é preciso fazer a gestão desses pedidos, manter o cliente informado e garantir que os produtos cheguem dentro do prazo acordado.

Como abrir uma loja virtual?

Se você quer saber como abrir uma loja virtual, acompanhe o passo a passo:

1. Decida o que vender

O primeiro passo para abrir uma loja virtual é decidir qual tipo de produto ou serviço você vai oferecer.

É importante saber que o e-commerce vem crescendo ano após ano no Brasil e que, desde a pandemia da COVID-19, o setor acelerou ainda mais seu faturamento.

Em 2021, por exemplo, as lojas virtuais brasileiras faturaram R$ 161 bilhões — um crescimento de 27% em relação ao ano anterior, segundo dados da Neotrust.

No primeiro semestre de 2022, o faturamento total foi de R$ 78 bilhões, também de acordo com dados da Neotrust.

Alguns segmentos de destaque nesses últimos anos foram moda, livros, eletrodomésticos, celulares, itens de casa e decoração e produtos para pets.

No entanto, você não deve se basear apenas nos produtos mais vendidos para abrir uma loja virtual, pois esses setores já são muito concorridos e, muitas vezes, estão saturados de lojistas.

O ideal é buscar um nicho de mercado com o qual você se identifique e que tenha demandas não atendidas, porque vale mais a pena focar em públicos específicos do que ser muito generalista.

Afinal, já temos e-commerces gigantescos que vendem produtos de vários departamentos, com os quais é impossível competir.

Pensando na realidade de um pequeno empreendedor, você pode investir em: quadros personalizados, cosméticos artesanais, bijuterias, acessórios, alimentos naturais e veganos, roupas plus size, estamparia de camisetas, doces caseiros, etc.

Esses são exemplos de segmentos que atendem públicos específicos e estão em pleno crescimento.

2. Conheça seu público-alvo

Para ter sucesso com uma loja virtual, você precisa conhecer muito bem seu público-alvo.

Isso significa pesquisar sobre seus clientes em potencial e entender seu gênero, faixa etária, localização, renda, entre outras informações demográficas.

Além disso, você deve se aprofundar nos estudos e entender quais são as dores, necessidades, preferências e hábitos de consumo do seu público.

Dessa forma, será possível ajustar sua oferta às demandas dos clientes, melhorar a comunicação da empresa e aumentar as chances de sucesso no e-commerce.

3. Crie uma marca

Toda loja virtual precisa de uma marca forte para atrair clientes e vencer a concorrência.

Para começar, você precisa de um nome memorável, que tenha relação com o seu ramo e seja fácil de falar e lembrar.

Depois, é preciso criar um logotipo profissional e uma identidade visual para a sua empresa, de modo que ela seja facilmente reconhecida e se destaque no mercado.

Uma dica importante é usar este link de busca do INPI (Instituto Nacional da Propriedade Industrial) para pesquisar se o nome que você pensou já está sendo usado por alguma empresa.

Isso porque você deverá registrar sua marca para garantir que nenhum concorrente faça uso indevido dela.

Leia também: Como registrar uma marca MEI? Guia completo

4. Faça um plano de negócio

O plano de negócio é um roteiro completo com todos os pontos necessários para a abertura da sua loja virtual.

Nele, você deve incluir as seguintes informações:

  • Nome da empresa (razão social e nome fantasia);
  • Endereço da web (vamos falar sobre isso mais adiante);
  • Área de atuação;
  • Público-alvo;
  • Análise de mercado (tendências e principais concorrentes);
  • Produtos ou serviços que serão vendidos;
  • Plataforma de e-commerce escolhida;
  • Capital necessário para abrir a loja (capital social);
  • Modelo de negócio e plano operacional (como a loja vai funcionar);
  • Planejamento financeiro;
  • Plano de marketing (como a loja será divulgada).

Dessa maneira, você consegue organizar cada etapa e recursos necessários para começar sua loja virtual sem surpresas.

5. Abra sua empresa

Antes de criar sua loja virtual, é recomendável abrir seu CNPJ para formalizar o negócio.

Existem vários tipos de empresas que podem ser abertas, como um MEI (microempreendedor individual), uma microempresa (ME) ou uma sociedade empresária.

A forma mais fácil e menos burocrática de começar é abrindo uma MEI.

Mais adiante, vamos explicar passo a passo como você pode formalizar esse tipo de empresa.

Por enquanto, entenda que ter um CNPJ é fundamental para regularizar suas vendas, emitir nota fiscal e profissionalizar sua loja online.

Tipos de CNPJ: veja aqui qual é a melhor opção para você abrir.

6. Escolha uma plataforma de e-commerce

Uma plataforma de e-commerce é um sistema com diversos módulos e funcionalidades que permitem construir uma loja virtual do zero.

No mercado, você vai encontrar várias plataformas desse tipo, com planos gratuitos e pagos.

Vamos falar mais sobre elas no próximo tópico, mas tenha em mente que é a tecnologia básica que será usada para abrir seu negócio.

Hoje, a maioria das plataformas já oferecem o serviço de hospedagem no pacote, utilizando servidores próprios ou serviços como Locaweb e Hostinger.

No entanto, se você preferir criar uma loja do zero com um desenvolvedor, será necessário também contratar um plano de hospedagem.

7. Compre um domínio

O domínio é o endereço da sua loja que aparece na barra do navegador, que pode ser .com, .com.br, .net, entre outros.

Algumas plataformas de e-commerce permitem que você comece gratuitamente usando o domínio deles.

No entanto, você transmite muito mais credibilidade com um domínio próprio, do tipo “www.sualoja.com.br” do que com um endereço do tipo “www.sualoja.wordpress.com”.

Por isso, é recomendável pesquisar se o nome da loja está disponível em sites como Registro.br e GoDaddy.

Assim, você já se planeja para comprar o domínio e ter um endereço exclusivo.

Atenção: deixe para comprar após escolher a plataforma, pois muitos planos oferecem o domínio como bônus.

8. Monte sua loja virtual

Finalmente chegou o momento de montar sua loja virtual! Aqui, você pode criar o site por conta própria, se for uma plataforma intuitiva e fácil de usar — nesse caso, nos planos pagos.

Nos sistemas modernos, você pode escolher um layout profissional, cadastrar seus produtos facilmente importando uma planilha e selecionar todos os recursos da sua loja online em um painel administrativo.

Outra opção, caso queira um negócio ainda mais personalizado, é contratar um desenvolvedor para construir o site do zero e um designer para cuidar do layout.

Existem profissionais freelancers que fazem o trabalho de cadastramento de produtos e configuração da sua loja virtual, deixando o site pronto para vender.

Para quem está começando sozinho, é possível criar uma loja virtual profissional em poucos passos, mesmo sem ter habilidades de programação ou design — vamos apresentar várias opções de serviços para isso.

9. Configure envios, pagamentos e atendimento

Na hora de criar sua loja virtual, você deverá ter muita atenção a três pontos:

Meios de pagamento

Procure oferecer diversos meios de pagamento, como cartão de crédito e débito, boleto bancário, Pix e transferência.

Isso é feito por meio de gateways de pagamento integrados à sua loja, sistemas que conectam seu e-commerce a adquirentes e bandeiras, como se fosse uma maquininha de cartão virtual.

Nas plataformas mais conhecidas, você consegue fazer essa integração em poucos cliques, escolhendo serviços como PayPal, PagSeguro e MercadoPago.

Meios de envio

Na hora de selecionar os meios de envio, ofereça opções de entrega via Correios e outras transportadoras como Jadlog e Total Express.

Nos sistemas atuais, você consegue mostrar várias opções de frete para o cliente, de modo que ele possa escolher de acordo com o preço e o prazo.

Atendimento ao cliente

Prepare uma página de perguntas frequentes (FAQ) e ofereça canais de atendimento diversos para sanar rapidamente as dúvidas dos seus clientes.

A dica é ter atendimento por chatbot para agilizar, mas também disponibilizar telefones, chats, e-mails e WhatsApp.

Leia também: Como oferecer um bom atendimento ao cliente na sua MEI?

10. Divulgue sua loja virtual

Por fim, com sua loja virtual pronta e no ar, é só começar a divulgar!

Afinal, os consumidores precisam conhecer sua marca para que você faça suas primeiras vendas online.

Ainda neste texto, teremos muitas dicas sobre marketing digital para ajudar você.

Qual plataforma para loja virtual escolher?

Se você está em dúvida sobre qual plataforma de e-commerce escolher, separamos as quatro mais simples e acessíveis do mercado.

Confira:

Shopify

A Shopify é uma plataforma de e-commerce que está presente em mais de 175 países e oferece soluções para empresas de todos os portes.

O sistema é fácil de usar e permite montar uma loja virtual em poucos minutos, preenchendo informações e selecionando recursos.

O plano inicial da plataforma é o Basic, que custa US$ 14 ao mês (cerca de R$ 75 em 2022) — também é possível testar por 3 dias grátis.

Tray

A Tray também oferece uma plataforma simples de usar, com recursos como taxa zero nas vendas, layouts gratuitos e checkout transparente (finalização de pagamento no próprio site, sem redirecionamento).

Além disso, o preço é bastante atrativo: R$ 49 por mês ou R$ 588 por ano no plano Simples, que permite até 10 mil visitas por mês e 100 produtos cadastrados.

Nuvemshop

A Nuvemshop é mais uma plataforma que permite criar uma loja virtual rapidamente e sem complicação.

Seus diferenciais são visitas e vendas ilimitadas, diversas integrações e a possibilidade de criar uma loja 100% grátis com o domínio da empresa (sem período de teste).

O plano mais básico oferecido é o Essencial, que custa R$ 59 ao mês e adiciona recursos como meios de envio integrados e atendimento por Messenger — é possível testar esse por 30 dias grátis.

WordPress

O WordPress oferece uma solução para criar um e-commerce facilmente.

O plano para loja virtual mais simples custa R$ 83 ao mês (cobrado anualmente) e inclui sistema de pagamentos, ferramentas de design e páginas de conteúdo.

Como divulgar a sua loja virtual?

Nenhuma loja virtual vai para frente sem divulgação, não é mesmo?

Confira nossas dicas de marketing digital:

Otimize o site para SEO

SEO (Search Engine Optimization, ou “Otimização para Mecanismos de Busca”) é uma estratégia que adapta o conteúdo da sua loja virtual para ter mais chances de aparecer nas buscas do Google.

Você pode aplicar diversas técnicas para fazer com que seus produtos, páginas de conteúdo e artigos de blog fiquem bem posicionados nos resultados de busca.

Para isso, escolha palavras-chave que seus clientes podem pesquisar e aposte em conteúdos relevantes para as dúvidas dos usuários.

Marketing de conteúdo para MEI: veja como construir relevância na internet.

Invista em links patrocinados

Uma forma rápida de aumentar sua visibilidade é investir em links patrocinados por meio do Google Ads.

Você pode escolher palavras-chave relacionadas à sua loja virtual e entrar no leilão de anúncios do Google.

Assim, seus clientes podem visualizar seus anúncios no topo dos resultados de busca.

Use as redes sociais

As redes sociais são excelentes canais para divulgar sua loja virtual.

Para começar, crie uma página no Facebook e utilize o recurso de loja para criar um catálogo virtual.

Use também o Instagram Shopping para exibir seus produtos na plataforma e levar mais clientes para a sua loja online.

Veja como usar Instagram para Empresas para vender muito mais.

Dicas para vender mais com sua loja virtual

OK, você já tem uma loja virtual, mas o que fazer para aumentar as vendas?

Veja algumas dicas:

Use o e-mail marketing

Crie uma lista de e-mail com clientes e potenciais clientes para enviar comunicações com ofertas, novidades e promoções.

Ainda hoje, o e-mail marketing é um dos canais mais eficientes para conquistar novos clientes e fazer os antigos continuarem comprando.

Ofereça um atendimento exemplar

O atendimento é um ponto-chave para aumentar as vendas de uma loja virtual.

É importante ter um canal ágil para tirar dúvidas dos clientes (por WhatsApp, por exemplo) e trabalhar muito o pós-venda para fidelizar seus compradores.

Confira 8 dicas para MEI sobre como fidelizar clientes.

Faça promoções

Não adianta só colocar os produtos na sua loja e esperar que eles sejam comprados: você também precisa incentivar as vendas com promoções.

Veja algumas das preferidas dos consumidores online:

  • Sorteios de prêmios nas redes sociais;
  • Frete grátis (pode ser acima de um valor de compra específico);
  • Descontos progressivos (10% na compra de uma unidade, 15% na compra de duas unidades, etc.);
  • Cupons de desconto (primeira compra, aniversário, etc.);
  • Kits de produtos com desconto;
  • Brindes nas compras.

Veja como fazer uma promoção e exemplos reais para você se inspirar.

Aposte em parcerias

Quem não tem muita verba para investir em marketing pode apostar nas parcerias.

Você pode, por exemplo, fechar um acordo com um influenciador digital de pequeno porte para divulgar produtos enviados a ele gratuitamente pela sua empresa.

Leia também: Parceria entre empresas MEI: quando vale a pena e como fazer?

Faça remarketing

O remarketing é uma estratégia que apresenta novamente seus produtos a um consumidor que já visitou seu site e chegou a abandonar um carrinho de compras.

Sabe quando você recebe um e-mail com um desconto especial para um produto que tinha visto recentemente?

Então, é uma ótima tática para incentivar o consumidor a fechar a compra, uma vez que ele já demonstrou interesse.

Exemplos de lojas virtuais de sucesso

Vamos aos cases de sucesso para inspirar você a começar sua loja virtual o quanto antes.

Nerd Universe

A loja geek Nerd Universe é um bom exemplo de empresa que começou pequena e não para de crescer.

Ela foi uma das primeiras a comercializar produtos de cultura nerd na internet.

Assim, ganhou o coração de um público bastante específico com várias coleções que trazem estampas de filmes, séries, quadrinhos e outros elementos geeks.

Tela do site da loja Nerd Universe

Choco Vegan

A Choco Vegan é uma pequena empresa de chocolates veganos artesanais que vem ganhando destaque no mercado de São Paulo.

A empresa se diferencia por oferecer o primeiro chocolate branco vegano do país e por incluir doações à causa animal em seu e-commerce.

loja virtual 2

Daju Papelaria Fofa

A Daju Papelaria Fofa é um exemplo de loja pequena e local que faz sucesso com seu e-commerce.

A empresa de Governador Valadares/MG vende para todo o Brasil e se diferencia pela temática afetiva.

Tela do site da loja Daju Papelaria Fofa

Sick Street Wear

A loja de street wear Sick aposta em muitas promoções para se destacar no mercado de moda urbana e alternativa.

Dessa forma, consegue competir com marcas maiores do segmento com um e-commerce simples e repleto de ofertas.

Tela do site da loja Sick Street Wear

Como abrir um MEI para vender pela internet?

Agora que você sabe como abrir uma loja virtual, só falta aprender a formalizar seu MEI para começar a vender de forma profissional.

Para a sua sorte, é possível se tornar um microempreendedor individual de forma totalmente gratuita e online, em poucos passos.

O processo fica ainda mais fácil se você usar o aplicativo MEI Fácil, que ajuda você a abrir a empresa e ainda serve para pagar os impostos mensais e gerenciar seu CNPJ.

Como MEI, você poderá emitir nota fiscal, acessar crédito empresarial e ainda ter benefícios previdenciários.

Banner com CTA para abrir a conta MEI Fácil por Neon

 

Ficou claro como abrir uma loja virtual e por que vale a pena investir nesse negócio? Então, aproveite a oportunidade e já abra sua conta MEI agora.

Inscreva-se também na TV MEI Fácil e acompanhe as redes sociais para não perder nenhuma novidade: Instagram e Facebook.