Atualizado em 08 de junho de 2022

Será que dá para ser MEI influenciador digital ou é preciso abrir outro tipo de empresa?

Hoje em dia, os digitais influencers que querem seguir carreira e bombar na internet precisam ter seu próprio CNPJ.

Dessa forma, eles conseguem profissionalizar o trabalho, fechar parcerias com empresas e escalar o negócio.

Neste artigo, iremos te explicar um pouco mais sobre está profissão que vem ganhando a cada dia mais espaço no mercado, e entender um pouco mais sobre está categoria.

Gostou? Continue lendo.

Primeiro, você sabe o que faz um influenciador digital?

O influenciador digital utiliza sua imagem, seus conhecimentos, sua empatia e carisma para divulgar determinado produto ou marca na internet.

Normalmente são pessoas famosas, com um número relevante de seguidores, que utilizam de sua influência para isso.

Com isso, este tipo de trabalho é cobrado assim como qualquer outro, e aí surge aquela dúvida se influenciador digital pode ser MEI 😉

A carreira de influenciador digital é promissora e pode render ganhos altos, mas, para isso, é preciso se profissionalizar.

Está é uma profissão ainda não regulamentada, mas as pessoas a cada dia mais estão compartilhando seu cotidiano em frente às telas para engajar seus números e chamar a atenção dos seus seguidores.

Também é uma forma de chamar atenção das marcas, ao demonstrar quantas pessoas podem ser influenciadas se ele fizer o anúncio ou um post nas redes sociais.

Desse modo, os influenciadores digitais tornaram-se verdadeiros parceiros das empresas, uma vez que induz os comportamentos para viabilizar escolhas pré-definidas de consumo.

As marcas enxergaram nos influenciadores digitais a oportunidade de um contato mais próximo com o seu público.

Afinal, influenciar pessoas na internet se tornou um negócio milionário, e não há mais espaço para amadores nessa indústria.

Influenciador digital pode ser MEI?

Como citado acima, está é uma dúvida para quem está começando está nova profissão em ser influenciador digital.

Mas, em tese, essa profissão não está na lista de atividades permitidas para o microempreendedor individual (MEI), pois estamos falando de uma ocupação que surgiu na era digital e ainda não consta nas classificações formais de empresas.

A lista de atividade é atualizada todo ano, então pode ser que isso mude 😉

Para os blogueiros, instagramers e youtubers que estão começando, não é possível se formalizar como MEI.

Para ser MEI, você precisa ter uma atividade permitida (CNAE) e atender alguns requisitos que o governo determina, sendo eles:

  • Faturar até R$ 81 mil por ano (limite estabelecido para 2022);
  • Não possuir sócios ou outra empresa em seu nome;
  • Contratar no máximo um empregado

Antigamente existia um CNAE permitido para esta categoria, sendo ele: CNAE 7319-0/03 – Operador(a) de Marketing Direto Independente.

Mas, esse código foi excluído em uma alteração realizada pelo governo em 2019.

Sendo assim, influenciador digital não pode ser registrar como MEI, mas você pode se registrar como optante de microempresa, que permite um faturamento de até R$ 360 mil ao ano e passa a cobrar impostos pelo Simples Nacional. 😉

Vamos falar de Simples Nacional

A categoria do Simples Nacional é um regime tributário especial para empresas de micro e pequeno porte criado em 2006 para facilitar a vida do empreendedor.

Um modelo simplificado de tributação, que pode te oferecer tabelas de alíquotas reduzidas de impostos, que progridem de acordo com o faturamento do negócio.

O passo a passo básico para abertura de uma empresa no simples nacional é o seguinte:

  • Contratar um contador;
  • Escolher o tipo de empresa;
  • Escolher a natureza jurídica;
  • Definir a (Atividade);
  • Levar a documentação nos órgãos competentes;
  • Fazer a opção pelo Simples Nacional;

Em relação de documentos e de exigências que você deve seguir dependem da cidade, porque cada município tem a sua legislação, e da natureza do seu negócio: advogados, por exemplo, precisarão do registro profissional da OAB para abrir a empresa.

Um ponto importante é você sabe fazer uma análise prévia de localidade, nem todo tipo de empresa pode ser aberto em determinados locais.

Por isso deve-se consultar a Prefeitura para saber se o seu negócio pode funcionar legalmente no espaço que você quer.

Normalmente os documentos pedidos pela Prefeitura são:

  • RG;
  • CPF;
  • Comprovante de endereço;
  • Se casado(a), certidão de casamento;
  • Cópia do IPTU ou documento que conste a inscrição imobiliária ou a indicação fiscal do imóvel onde a empresa será instalada.

Após esse processo, a sua empresa recebe o seu primeiro contrato social. Então é a hora de protocolar o pedido de registro na Junta Comercial ou Cartório — dependendo da atividade exercida, levando outros documentos pedidos pela Prefeitura.

Concluindo está etapa, você já terá o CNPJ do seu negócio!

E neste momento você já está com a sua empresa aberta e pode emitir nota fiscal de serviços.

Não se esqueça de retornar a Prefeitura para tirar o seu alvará de funcionamento e ver todas as outras licenças que seu negócio vai precisar para se manter na legalidade.

Quem pode requerer ao Simples Nacional?

Este regime tributário foi feito especialmente para os micros e pequenos negócios brasileiros, existem três tipos de empresas que se enquadram no Simples Nacional, sendo elas:

  • Microempresa (ME): faturamento até 360 mil reais de faturamento nos últimos 12 meses;
  • Empresa de Pequeno Porte (EPP): faturamento de 360 mil reais a 4,8 milhões de reais de faturamento nos últimos 12 meses;
  • O Microempreendedor individual (MEI): também faz parte do Simples Nacional, mas para influenciador digital existem as regras que citamos acima, neste caso está categoria não se enquadra para você.

Conheça a tabela com as alíquotas que podem ir mudando de acordo com o faturamento da sua empresa que fornecem serviço de auditoria, jornalismo, tecnologia, publicidade, engenharia, entre outros:

Receita Bruta Total em 12 meses Alíquota Quanto descontar do valor recolhido
Até R$ 180.000,00 15,5% 0
De R$ 180.000,01 a R$ 360.000,00 18% R$ 4.500,00
De R$ 360.000,01 a R$ 720.000,00 19,5% R$ 9.900,00
De R$ 720.000,01 a R$ 1.800.000,00 20,5% R$ 17.100,00
De R$ 1.800.000,01 a R$ 3.600,000,00 23% R$ 62.100,00
De R$ 3.600.000,01 a R$ 4.800.000,00 30,5% R$ 540.000,00

Vantagens em abrir sua empresa no regime Simples Nacional?

Está categoria foi criada, para facilitar a vida do micro e pequenos empreendedores, por isso ele traz vantagens para eles:

DAS: basta uma única guia para fazer o recolhimento de 8 tributos, em vez de pagar diferentes documentos em prazos variados e acabar se perdendo no meio de tantas contas.

Tributação progressiva baseada no faturamento: neste sistema pode beneficiar quem está começando contabilizando alíquotas menores que só vão aumentar à medida que o negócio crescer.

Certificado Digital: empresas de Serviço com menos de 5 funcionários não precisam ter certificado digital, e têm um custo a menos. Algumas prefeituras, como Porto Alegre e Belo Horizonte exigem certificado digital para todas as empresas do Simples.

Facilidade de Regularização: a receita Federal facilita o parcelamento e a apuração de débitos para empresas no Simples, tornando o processo de manter sua empresa regularizada menos complexo.

Vale lembrar que abrir uma empresa Simples Nacional, também implica em ter que lidar com menos burocracia, devido à diminuição das obrigações acessórias e simplificação na contabilidade em comparação a outros regimes.

O que pode tirar você do Simples Nacional?

Fique de olho, se a sua empresa está inscrita no regime do Simples Nacional, você e o seu contador deve estar ciente de todos os requisitos que elas pedem.

Existem algumas coisas que podem acontecer que podem retirar você do regime Simples Nacional, sendo elas:

  • Incluir alguma atividade não permitida ou realizar qualquer alteração no contrato que seja impeditiva para este regime tributário (é preciso informar a Receita Federal);
  • Ultrapassar o faturamento em menos de 20% (R$ 5.760.000,00): Desenquadramento a partir de janeiro do ano seguinte.
  • Ultrapassar o faturamento em mais de 20% (R$ 5.760.000,00): Desenquadramento a partir do mês subsequente à ocorrência do excesso.
  • Inclusão de atividade impeditiva: Desenquadramento a partir do mês subsequente à inclusão.

Vantagens do CNPJ para o influenciador digital

São várias as vantagens de se formalizar como influenciador digital.

Veja as principais:

Acesso ao crédito

O empreendedor também consegue acessar linhas de crédito exclusivas para nas instituições bancárias.

Isso pode ser muito útil caso você queira expandir seu negócio como influenciador digital e precise de dinheiro para investir no plano de crescimento.

Possibilidade e emitir nota fiscal

Muitas empresas que contratam influenciadores digitais para promover seus produtos exigem nota fiscal de serviços.

Então, se você quer ampliar suas oportunidades de parcerias, vale a pena abrir um CNPJ para começar a emitir os documentos fiscais de forma regular.

Profissionalização

A carreira de influenciador digital é promissora e pode render ganhos altos, mas, para isso, é preciso se profissionalizar.

Abrindo um CNPJ, você estará dando o primeiro passo para adotar uma mentalidade empreendedora e escalar seu trabalho.

Afinal, influenciar pessoas na internet se tornou um negócio milionário, e não há mais espaço para amadores nessa indústria.

8 dicas de sucesso para influenciadores digitais

Depois de abrir seu CNPJ, você já pode evoluir na carreira de influenciador digital e alcançar o sucesso.

Veja algumas dicas para se dar bem nessa área.

  1. Encontre um nicho específico com o qual você tenha familiaridade e mire no público-alvo certo
  2. Aproveite para contratar um funcionário para auxiliar na produção do seu conteúdo (ex: editor de vídeo, assistente virtual, gestor de comunidade, etc.)
  3. Melhore a qualidade do seu trabalho com equipamentos como câmeras profissionais e recursos de iluminação
  4. Produza conteúdo exclusivo e busque se diferenciar dos seus concorrentes
  5. Faça parcerias com outros influenciadores que tenham um público semelhante para aumentar sua audiência (você pode fazer lives conjuntas, webinars, etc.)
  6. Crie um mídia kit atrativo para fechar parcerias com empresas de todos os portes
  7. Faça anúncios patrocinados para ampliar seu alcance para além do orgânico
  8. Mantenha-se autêntico e fiel a sua identidade como influenciador digital.

Agora que você já sabe que influenciador não pode ser MEI, nós acompanhe as redes sociais para não perder nenhuma novidade Instagram e Facebook, e também inscreva-se na TV MEI Fácil.