Atualizado em 29 de março de 2022

O empreendedorismo no Brasil vem ganhando cada vez mais força nos últimos anos, em especial quando falamos de 2021.

De acordo com a pesquisa, o número de MEIs aberto somente em 2021 ultrapassam 4 milhões de novos microempreendedores no Brasil.

No total foram abertas 682,7 mil microempresas ME (17,35% do total), com faturamento de até R$ 360 mil por ano, e 121,9 mil empresas de pequeno porte (2,65% do total).

Muitos dos novos empreendedores por necessidade aprenderam a ter uma nova ocupação quando perdeu o emprego com a pandemia de Covid-19, e precisa encontrar uma nova fonte de renda.

E pessoas que já trabalhavam como autônomas e buscam se tornar MEIs para formalizar o negócio e ter as vantagens que a modalidade oferece.

Leia também: A MEI é sua única fonte de renda? Então este artigo é para você

Porém, se tornar um MEI traz consigo responsabilidades, diversas dúvidas e dificuldades que surgem quando a empresa já está em funcionamento, o que torna quase certo o surgimento de erros durante a jornada do empreendedor.

Por isso, neste conteúdo iremos trazer algumas dicas para te ajudar a compreender melhor os principais erros cometidos pelos MEIs.

Principais erros cometidos pelo MEI: conheça 8 principais

1. Começar sem ter um plano de negócios

Antes mesmo de abrir as portas da sua empresa, é muito importante que você tenha elaborado um plano de negócio.

“Mas por que o plano de negócio é tão importante?”, você pode estar se perguntando.

Com ele você pode compreender como atingir o seu público-alvo, as características de seus clientes e concorrentes, quais os requisitos necessários para lançar o que deseja, o preço de produtos semelhantes ao seu, além de definir ações de curto, médio e longo prazo.

E esses são apenas alguns aspectos que um plano de negócio precisa contemplar para mapear os caminhos a serem seguidos.

A sua elaboração não garante o sucesso da sua empresa, mas representa um grande passo nessa direção.

2. Falta de organização financeira

Uma boa gestão financeira do seu negócio é essencial na busca pelo sucesso e deve ser prioridade no dia a dia da empresa.

Entretanto, sabemos que não é fácil controlar todos os números que as finanças de um negócio possuem.

É preciso gerir o fluxo de entradas e saídas de dinheiro, como controlar o pagamento de fornecedores, funcionário, custos fixos e recebimentos de clientes, analisar o faturamento da empresa, cumprir com obrigações legais e não para por aí.

Diante disso, uma dica importante é procurar por um profissional de contabilidade, pelo menos para organizar as finanças e fornecer orientações para a melhor administração da sua empresa.

A MEI Fácil possui um serviço chamado Contabilidade MEI que oferece o suporte completo para você estar sempre em dia com o governo.

3. Não separar as finanças da empresa das finanças pessoais

Uma das maiores dificuldades do MEI é separar as finanças pessoais das finanças da empresa  e isso prejudica não só a saúde do negócio, mas também a sua organização financeira pessoal, podendo resultar no fechamento do empreendimento.

Para o seu negócio, é importante que você tenha uma planilha de controle financeiro, assim você conseguirá manter todos os seus gastos anotados em um único local 😊

Por isso, evite ao máximo pagar suas contas pessoais com o dinheiro da empresa, separe um pró-labore para você, comece a montar uma reserva financeira pessoal e para o negócio e, se achar necessário, contrate um contador para ajudá-lo a organizar o processo.

4. Não pagar a DAS

O Documento de Arrecadação do Simples Nacional, normalmente abreviado como DAS, corresponde ao único recolhimento mensal de imposto obrigatório para o MEI.

O DAS possui um valor fixo que gira em torno de R$ 61,60 e R$ 66,60 (em 2022) e deve ser pago até o dia 20 de cada mês.

É essencial que você pague o DAS MEI, caso contrário o seu CNPJ pode ser automaticamente cancelado, além de originar uma dívida em seu CPF.

Leia também: Pendências MEI: perigos, como regularizar e como evitar

O pagamento do DAS é destinado para os benefícios que o MEI possui, como previdência social, salário-maternidade, auxílio-doença, auxílio-reclusão e pensão por morte.

5. Não precificar o produto ou serviço corretamente

Quando o MEI não precifica da maneira correta o seu produto, ele deixa de lucrar o tanto que poderia e isso afeta a saúde financeira do negócio.

Além disso, caso os planos sejam sair do MEI e se tornar uma empresa do Simples Nacional no futuro, as chances de ter problemas financeiros são ainda maiores.

Quando se torna uma microempresa (ME), o número de funcionários aumenta, assim como os tributos e responsabilidade legais.

Trabalhe na precificação correta de seu produto e esteja preparado para os próximos passos da empresa.

6. Não estar atento à atualização das leis

Embora o MEI tenha surgido para facilitar o empreendedorismo no Brasil, a modalidade de negócio possui obrigatoriedades legais que devem ser cumpridas, assim como possibilidades de mudanças fiscais controladas pelo governo.

Com isso, é importante estar sempre atento à atualização dos aspectos legais e fiscais do MEI, como não ultrapassar o limite máximo de renda bruta anual, que é R$ 81 mil reais, além de pagar todos os meses o seu boleto DAS.

Você sabia que o limite de faturamento MEI pode aumentar?

Existe um projeto complementar (PLP) 41/21 para o aumento de faturamento, e você MEI precisa estar ligando caso isso aconteça nas atualizações constantes do governo. Fique de olho!

7. Não se capacitar

Não é novidade para ninguém que o mercado está cada dia mais competitivo e concorrido. Os clientes estão mais exigentes, a concorrência aumenta constantemente e vender um produto ou serviço se torna uma tarefa cada vez mais complexa.

Mas isso não é um impeditivo para você deixar de faturar mais. Procure se capacitar, entender mais sobre o seu negócio, o mercado, as tendências e encontre diferenciais na hora de ofertar o seu produto.

Com poucos cliques você encontra cursos gratuitos e de qualidade que te ajudarão nessa jornada.

Os cursos do Sebrae, por exemplo, são uma ótima opção na hora de buscar por capacitação.

Também pesquise por livros de empreendedorismo, marketing e vendas, gestão financeira, negócios e experiência do cliente e decole de vez o seu negócio.

Leia também: 10 séries e filmes para empreendedores que você deve assistir

8. Não encarar o erro como aprendizado

Este é um ponto bem importante, principalmente para quem está começando a empreender agora.

Como falado, ser empreendedor não é uma tarefa fácil, e você precisará de muita sabedoria para trilhar o melhor caminho. 😉

E através disso, nós temos que aprender a lidar com os nossos erros e transformá-los em uma experiência positiva.

Você sabe como lidar com os erros?

Lembre-se daquele ditado antigo “Errando que se aprende”, e por este erro acontecer agora, te mostre caminhos melhores para que não aconteça novamente.

Eai, gostou de entender um pouco mais sobre os erros dos empreendedores?

Aproveite e inscreva-se na TV MEI Fácil e acompanhe as redes sociais para não perder nenhuma novidade: Instagram e Facebook.