Guia sobre como vender pela internet em 2023 e faturar mais

11 minutos de leitura
Pessoa com calculadora em cima de caixas de encomendas
Navegue pelo conteúdo

Quer saber como vender pela internet e aproveitar todas as vantagens e conveniência do trabalho remoto?

Esse é o pensamento que guia boa parte das pessoas que resolvem empreender pela internet, mas, como toda boa ideia, é preciso planejar bem para colocá-la em prática com sucesso.

Continue lendo e entenda as oportunidades e os riscos de conduzir uma empresa online!

Por que você precisa saber como vender pela internet?

Segundo pesquisa publicada pela CNN, o número de novas empresas abertas entre 2020 e 2022 foi 25% maior do que no período entre 2017 e 2019, antes do coronavírus. A maioria desses novos negócios — como era de se esperar — são MEI.

O comércio eletrônico, como também era esperado, não ficou para trás. Em 2022, de acordo com o portal Ecommerce Brasil, o volume de tráfego aumentou em 84%, gerando receitas de US$ 49,2 bilhões, recorde na América Latina.

Portanto, sobram motivos para apostar em um negócio online, seja vendendo produtos ou prestando serviços.

O que vender pela internet?

Mesmo assim, esse crescimento todo não quer dizer que dá para vender qualquer coisa e ganhar dinheiro.

O sucesso de um negócio está sempre ligado à estratégia, a um bom planejamento e a uma gestão rigorosa dos recursos.

Assim como você, outras pessoas também estão em busca de oportunidades, e, em meio tanta concorrência, fica difícil prosperar fazendo mais do mesmo.

Por isso, uma das primeiras decisões que você terá que tomar será a escolha do que vai vender online.

Produtos para vender pela internet

Como alerta reportagem da revista Exame, o e-commerce no Brasil ainda tem fôlego para crescer, mas isso deve gerar um custo cada vez maior.

Isso aumenta a importância de uma escolha criteriosa do que vender, ainda mais considerando a quantidade de concorrentes que, como vimos, não para de aumentar.

Confira então quais produtos você pode começar a vender e como se diferenciar em um mercado tão grande como é o brasileiro.

Roupas

Vender roupas é e sempre será uma alternativa viável, tendo em conta que vestuário é artigo de primeira necessidade.

No Brasil, o comércio eletrônico de roupas vai muito bem, tendo registrado crescimento de  16% em 2022, segundo um levantamento da SmartHint.

Você pode começar com revenda, desde que tenha um bom fornecedor, ou desenvolver suas próprias peças, o que vai exigir mais investimento em equipamentos e design.

CNAE loja de roupas: saiba como ser um vendedor formalizado.

Beleza e acessórios

Como mostra uma matéria veiculada no site da Band, o setor de beleza é um dos que melhor se recuperaram depois da pandemia.

Boa parte desse crescimento foi impulsionado pelos microempreendedores, que encontram poucos obstáculos no setor para empreender e lucros atrativos.

Entre as opções nessa área, destacam-se a venda e/ou prestação de serviços como:

Leia também: Como montar um salão de beleza em um espaço pequeno?

Produtos Pet

Você sabia que o Brasil é um dos maiores mercados do mundo de produtos para animais de estimação?

Em 2021, o crescimento nas vendas de produtos e serviços para bichos cresceu 27%, alcançando o faturamento bruto de R$ 51,7 bilhões.

A vantagem desse setor é a grande variedade de produtos que você pode vender. Acessórios como coleiras, casinhas e até roupas são opções de itens com um bom giro.

Isso para não falar dos produtos de beleza, shampoos e cosméticos para cães e gatos, além das diversas marcas de ração e alimentos.

Petshop pode ser MEI? Qual o CNAE para se formalizar?

Alimentos

O mercado de gêneros alimentícios também cresce a olhos vistos, com faturamento 16,6% maior em 2022 em relação a 2021, de acordo com a ABIA.

Além das opções tradicionais, como a venda no varejo — principalmente em mercadinhos — há também a sempre lucrativa opção do delivery de refeições.

Então, se você tem talento para a cozinha e muita vontade de crescer, pode aproveitar as oportunidades nesse segmento, que cresceu espantosos 89% em 2022.

Doceiro, marmiteiro e salgadeiro: CNAE + dicas essenciais.

Suplementos

Uma pesquisa da Associação Brasileira da Indústria de Alimentos Especiais (ABIAD) revela que o mercado de suplementos cresceu 10% em 2020.

Para 2025, a expectativa é de que esse setor movimente US$ 252 bilhões, com um crescimento projetado de 7,5%.

É uma ótima alternativa de negócio, que vai no embalo do crescimento do mercado de academias e da indústria da saúde.

Produtos Veganos

Outro mercado em franca expansão é o de produtos veganos.

Uma pesquisa de 2020 publicada no site da Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB) mostra que 90% dos brasileiros desejam ter uma alimentação mais saudável, consumindo mais vegetais, frutas, legumes e verduras.

Além disso, as estimativas apontam para um total de aproximadamente 7 milhões de pessoas adeptas do veganismo.

Eletrônicos

O comércio de produtos eletrônicos se destaca pelas altas margens que proporciona.

Celulares, laptops, tablets e computadores são os itens que mais se destacam, em razão da alta procura.

Embora tenha passado por um período de retração, o comércio de telefones celulares continua aquecido no Brasil, registrando alta de 3,1% no final de 2022.

Livros

Engana-se quem pensa que o mercado editorial brasileiro não é lucrativo.

Entre 2021 e 2022, o mercado de livros cresceu 3,03%, registrando faturamento de R$ 161,05 milhões.

Você pode vender livros novos, mas também pode explorar as possibilidades da venda de livros e impressos usados, como um sebo virtual.

Cama, mesa e banho

Artigos de cama, mesa e banho são também uma ótima alternativa de produtos para vender, em razão do giro relativamente alto e margens de lucro atrativas.

Assim como no segmento de vestuário, você pode revender peças ou fabricar seus próprios itens e vender online.

Se você decidir tocar sua própria produção, terá que fazer um investimento maior, mas em compensação, poderá oferecer aos clientes um produto exclusivo.

Artesanato

Outro setor que vai de vento em popa é o de artesanato, que movimenta mais de R$ 100 bilhões por ano no Brasil.

Se você tem talento para trabalhos manuais, pode aproveitar para colocar a mão na massa e lucrar com isso.

Existem até plataformas de e-commerce exclusivas para a venda de artesanato, como a Shop Handmade e Made It Myself, entre outras.

Obras de arte

A internet é um espaço democrático, onde se pode vender e comprar quase tudo. Obras de arte, por exemplo, podem render bons lucros, e nem precisam ser de autores famosos.

Afinal, como aponta uma matéria no jornal Estado de Minas, existem também os colecionadores de arte que não são ricos.

Outra vantagem é que esse é um mercado cheio de opções: pinturas, esculturas e artes plásticas são algumas das obras que você pode vender online.

Infoprodutos

Artigos como este que você está lendo poderiam ser facilmente comercializados online como infoproduto, que consiste em um conteúdo escrito na forma de e-book, infográfico ou guia digital.

Uma pesquisa publicada no portal Meio e Mensagem revela que o mercado para esse tipo de material deve alcançar receitas de R$ 241 bilhões até 2027.

É tempo de sobra para você investir na produção de conteúdos educativos em temas que despertem o interesse das pessoas na internet e sobre os quais você tenha conhecimento.

Serviços para vender pela internet

Além dos produtos físicos, você também pode prestar serviços online, caso tenha alguma experiência ou habilidade.

Caso seja essa a sua opção, procure caprichar no atendimento, já que muito da percepção de qualidade de um serviço pelo consumidor tem a ver com esse aspecto.

Veja na sequência algumas das alternativas que você pode explorar para ganhar dinheiro.

Aulas

Da mesma forma que você está buscando aprender sobre como vender pela internet, há milhões de pessoas lá fora em busca do mesmo conhecimento.

Então, para aqueles que já dominam um assunto ou têm formação em alguma área, sempre é possível aproveitar as habilidades desenvolvidas para fazer uma grana.

Algumas das opções nesse sentido são de aulas de:

  • Técnicas de vendas;
  • Canto;
  • Instrumentos musicais;
  • Redação para internet;
  • Programação;
  • Design, etc.

Otimização para sites

As empresas estão sempre buscando meios para destacar seus sites e e-commerces na internet.

O único caminho para isso é por meio da Otimização para Motores de Busca, mais conhecida pela sigla em inglês SEO.

Muito desse serviço tem a ver com a escrita de conteúdo, mas ele também envolve conhecimentos de usabilidade e de aspectos funcionais dos sites.

Se você domina o assunto, então não deixe de aproveitar essa habilidade para lucrar.

Assistência técnica

Para quem tem experiência com reparos de eletroeletrônicos, a prestação de assistência técnica online pode ser uma saída para garantir uma renda extra.

Embora em certos casos esse seja um serviço que só pode ser prestado presencialmente, em outros é possível realizá-lo online.

Assim trabalham, por exemplo, os técnicos de informática e de telefonia móvel, que, antes de receber um aparelho para conserto, fazem um diagnóstico por videochamada ou chat.

Design

Uma categoria profissional que pode vender facilmente seus serviços pela internet é a de designer.

Como veremos mais adiante, existem sites especializados no anúncio desse tipo de serviço, geralmente contratado como freelancer.

A cobrança pode ser por hora trabalhada ou, como é mais comum, por arte finalizada: fica a seu critério e do cliente.

Social Media

Assim como os designers, as plataformas de trabalho freelancer estão o tempo todo anunciando vagas para quem trabalha com redes sociais.

Nesse caso, o serviço é para a gestão das publicações, produção de textos e, em alguns casos, produção e gestão de anúncios.

Fotografia

Com uma boa câmera, boas ideias e conhecimento de fotografia, você pode também lucrar vendendo imagens pela internet.

Bancos de imagens como Istock e Shutterstock compram fotos que mostrem lugares, eventos e pontos turísticos, desde que estejam dentro de certos padrões.

Ou, se preferir, você pode mostrar o seu trabalho de forma independente, por meio de publicações em redes sociais, principalmente Instagram, ou em um site.

Fotógrafo profissional sendo MEI: descubra como ser agora.

Edição

De acordo com uma pesquisa publicada no portal Meio & Mensagem, os vídeos são o tipo de mídia que mais gera engajamento nas principais redes sociais.

Mas você não precisa produzir o conteúdo para ganhar dinheiro online, é possível faturar bem trabalhando com edição de vídeos.

Revenda de hospedagem

As empresas que trabalham com criação e hospedagem de sites utilizam serviços de revenda para ampliar a capacidade de suas forças de vendas.

É uma oportunidade para trabalhar pela internet, com um serviço que demanda pouco investimento.

Basta um computador conectado e algum conhecimento de hospedagem e você já vai ter o que precisa para começar.

Consultoria

Profissionais liberais como advogados, administradores, contadores e coaches podem também aproveitar as possibilidades da internet, prestando consultoria.

Aliás, esse é um tipo de serviço que todos os profissionais com ampla experiência em uma área podem prestar.

Consiste em uma espécie de diagnóstico de um negócio ou projeto, em que você, usando seus conhecimentos, diz o que precisa ser melhorado.

Depois, fica a cargo do cliente implementar ou não as mudanças que você sugerir.

Copywriting

Da mesma forma que designers e especialistas em redes sociais, sempre há trabalho nas plataformas de freelancers para quem escreve.

O ideal é que você tenha conhecimentos de escrita para a internet, com foco em texto publicitário, embora haja espaço para todos que tenham habilidade para criar textos.

A remuneração geralmente é por palavra escrita, mas há empresas que podem pagar por hora. Os valores variam, dependendo da plataforma com que você trabalhar e dos clientes.

Como vender pela internet?

Diferentemente da venda ao vivo, em que o cliente paga na hora com dinheiro ou cartão, nas vendas pela internet é preciso contar com certos recursos para poder receber.

Nas plataformas de e-commerce, por exemplo, os pagamentos são processados pelos chamados gateways.

São páginas em que o cliente escolhe como quer pagar e insere seus dados conforme o método escolhido.

Daí para frente, toda a transação é feita automaticamente, e se tudo estiver OK, o dinheiro é creditado na conta do lojista depois que a conciliação bancária é concluída.

Como abrir uma empresa para vender pela internet?

Vendas não acontecem por acaso e nem podem depender da sorte. Por isso, é fundamental planejar muito bem antes de abrir um negócio.

Confira a seguir como fazer isso com o mínimo de risco.

1. Monte um plano de negócio

O plano de negócio é como se fosse o “manual de instruções” de uma empresa. É por ele que o empreendedor se orienta nas fases iniciais do negócio, sendo também um documento exigido por instituições financeiras para aprovação de crédito.

O modelo mais comum é o chamado model canvas, no qual estão contemplados 9 aspectos fundamentais de um negócio:

  • Segmento de clientes;
  • Proposta de valor;
  • Canais;
  • Relação com os clientes;
  • Fontes de receita;
  • Recursos-chave;
  • Atividades-chave;
  • Parceiros;
  • Matriz de custos.

2. Capte os recursos

Nenhuma empresa sobrevive sem um bom capital de giro, ainda mais nos primeiros meses, quando o negócio não gera lucro.

Assim, quanto mais capitalizado ele estiver desde o início, mais preparado estará para suportar as dificuldades típicas das fases iniciais.

Esses recursos podem vir de:

  • Reservas financeiras próprias;
  • Empréstimos bancários;
  • Financiamento coletivo;
  • Investimento-anjo.

3. Escolha o modelo

Seu negócio vai operar pelo modelo tradicional de vendas online no varejo ou será pelo sistema de assinatura? Ou, quem sabe, você não tenha em mente um modelo totalmente novo e disruptivo?

Seja qual for a sua escolha, é preciso escolher com critério a maneira como a sua empresa vai captar recursos e, principalmente, gerar valor para seus colaboradores e clientes.

4. Desenvolva uma marca

Conhecido o modelo de negócios e outros elementos essenciais, é hora de finalmente investir na marca que vai tornar a sua empresa conhecida.

Nesse caso, vale investir na contratação de um designer, que pode não só criar uma marca como toda uma identidade visual.

Posicionamento de marca: o que é, exemplos e como fazer.

5. Selecione os canais de vendas

Nada impede você de trabalhar com outros canais de vendas online além das plataformas de e-commerce.

Você pode usar e-mail marketing, ou, se tiver capital para investir, apostar em anúncios em plataformas como o Google Ads.

Isso para não falar da própria plataforma de vendas, que pode ser um site próprio ou uma loja em um marketplace.

Descubra como vender em marketplace sendo MEI.

6. Recrute pessoas

MEIs podem contratar pessoas para trabalhar, desde que seja limitado a apenas um trabalhador com carteira assinada.

Nada impede você de trabalhar por conta própria no começo, mas certamente com o tempo você precisará de mais braços para dar conta de todas as rotinas.

Afinal, mesmo vendendo online, é preciso cuidar da retaguarda do negócio, em atividades como contabilidade e fornecedores, entre outros aspectos operacionais.

7. Crie uma loja virtual

Vendendo produtos ou serviços, é certo que você vai precisar mostrar o que tem para vender em uma plataforma adequada.

Algumas opções nesse sentido são:

8. Agregue tecnologia

Não basta apenas ter uma loja e descuidar de outros aspectos essenciais para que ela tenha sucesso. O atendimento, por exemplo, não tem como ser feito por pessoas 24 horas por dia.

A tecnologia pode ajudar, por meio de chatbots programados com perguntas e respostas automáticas.

Você também precisará da tecnologia para integrar as diferentes operações da sua loja, o que pode ser feito com a implementação de um ERP.

9. Corrija e aperfeiçoe

O trabalho não acaba depois que a loja começa a vender.

Ao longo do tempo, será necessário corrigir as falhas que com certeza vão surgir, bem como implementar melhorias de acordo com o feedback que você receber dos clientes.

10. Tenha um plano B

Por mais organizada que uma empresa seja, os imprevistos sempre podem colocar o seu negócio em risco.

Assim, tenha sempre um plano B para lidar com os piores cenários possíveis, que você poderá antecipar na fase do planejamento.

MEI pode vender pela internet?

Pode sim, aliás, não faltam oportunidades para um MEI ganhar dinheiro online. Para isso, tudo que você precisa é observar se a sua atividade não tem restrições quanto ao canal de vendas.

Isso porque não existe um código específico para vendas online, então, sempre que você trabalhar no varejo, utilizará uma classificação baseada no meio físico.

CNAE: guia completo com tudo que você precisa saber.

Como vender pela internet como pessoa física?

Sim, é possível, mas veja que, nesse caso, você estará bastante limitado em termos de recursos.

Na OLX, por exemplo, qualquer pessoa pode colocar produtos à venda, mas ela não conta com uma série de funcionalidades essenciais para estruturar uma loja virtual.

Portanto, esteja ciente de que, ao optar por trabalhar como pessoa física e não como MEI, você precisará lidar com grandes limitações e condições de trabalho bem mais difíceis.

Apps e sites para vender pela internet

Quem opta por vender pela internet já sai na frente em relação a quem resolve partir para o varejo físico.

Uma das principais vantagens é a grande quantidade de sites e plataformas para vendas online, nas quais pode-se vender praticamente tudo.

Confira abaixo as principais opções.

Sites para vender produtos pela internet

  • Shopee: permite a venda de produtos usados e novos, como MEI ou pessoa física;
  • Mercado Livre: outra plataforma de grande porte, onde se pode vender produtos novos como empresa ou pessoa física;
  • Amazon: um dos maiores marketplaces do mundo, permitido apenas para empresas que vendem produtos novos;
  • Enjoei: também voltado para produtos de segunda mão, que podem ser vendidos como pessoa física ou com CNPJ;
  • OLX: exclusivo para itens usados e um dos preferidos por pessoas físicas.

Sites para anunciar serviços na internet

  • GetNinjas: site de cadastro de profissionais de diversas especialidades, como professores, serviços domésticos e assistência técnica;
  • 99Freelas: voltado para profissionais de marketing digital, como designers, redatores e programadores.

Sites para trabalho freelancer

Outros sites para freelancers são:

Sites para vender usados

Você pode vender aqueles produtos que estão sem uso e até comprar itens de segunda mão para revender online.

Para isso, você pode anunciá-los nos seguintes sites:

Redes sociais

Como vimos, o Facebook conta com o seu próprio marketplace para quem quer comprar e vender diretamente pela rede social.

Outra rede que permite a montagem de uma loja online é o Instagram.

O Twitter não tem essa opção, mas você pode criar um perfil para sua empresa e aproveitar funcionalidades exclusivas.

Dicas para vender mais pela internet

Seria ótimo se tudo se resumisse a abrir uma loja online e esperar os clientes aparecerem.

Vendas não caem do céu, então, você vai precisar fazer um esforço também para divulgar o seu negócio e atrair seus primeiros clientes.

Veja algumas dicas para isso:

  • Invista em produção de conteúdo;
  • Use as redes sociais para mostrar seus produtos e serviços;
  • Ofereça uma boa experiência de compra;
  • Cuide do relacionamento com o cliente desde o primeiro contato até o pós-venda.

Como abrir um MEI para vender pela internet

A MEI Fácil por Neon é a plataforma online feita para quem é Microempreendedor Individual.

Em nosso site, você abre MEI sem enrolação ou burocracia: é só preencher seus dados e deixar o resto com a gente!

Banner com CTA para abrir a conta MEI Fácil por Neon

Inscreva-se também na TV MEI Fácil e acompanhe as redes sociais para não perder nenhuma novidade: Instagram e Facebook.

Este artigo foi útil?
Nota Média: 5 | Votos: 1
Tags:
Vale a pena ler