“Posso passar o meu cartão na minha maquininha?” é uma dúvida muito comum entre pequenos empreendedores.

Afinal, se você tem acesso a uma maquininha de cartão no seu estabelecimento, por que não usá-la para conseguir um dinheiro rápido e com juros menores?

Acontece que essa prática é ilegal, pois, na realidade, você está fraudando uma transação e enganando a credenciadora.

Nos tópicos a seguir, vamos mostrar os riscos de passar o seu cartão (ou o de parentes) na sua maquininha e apresentar alternativas de crédito.

Continue lendo e evite cometer fraudes com o seu MEI.

Posso passar o meu cartão na minha maquininha?

Não, passar o seu próprio cartão ou o de representantes legais e parentes na sua maquininha é uma prática proibida pelo Banco Central do Brasil e pelas empresas credenciadoras.

Muitas pessoas têm recorrido a esse método para conseguir dinheiro para pagar contas, adiantar valores ou fazer empréstimos a conhecidos com juros mais baixos.

No entanto, a prática pode ser enquadrada como autoempréstimo e/ou autofinanciamento, duas atividades proibidas pelo BCB que podem ser consideradas crimes contra o sistema financeiro nacional.

Isso porque, no Brasil, somente instituições autorizadas e participantes do sistema financeiro podem conceder crédito e financiar operações de compra e venda.

Além disso, quando você passa o cartão na sua própria maquininha, está cometendo uma fraude, pois não existe uma transação comercial que justifique a operação de pagamento.

Logo, a ação é ilegal do ponto de vista dos órgãos reguladores e também da credenciadora responsável pelo fornecimento da máquina ao estabelecimento.

Riscos de passar cartão de crédito e pegar dinheiro

Ao passar seu cartão ou o cartão de parentes na sua maquininha, você corre uma série de riscos.

Veja os principais:

Endividamento

O primeiro risco que você corre passando seu cartão de crédito na maquininha é o endividamento.

Isso porque, com essa prática, você pode acabar gastando mais do que sua situação financeira permite, já que é uma maneira “fácil” de conseguir dinheiro na hora.

O que muitas pessoas fazem é usar o valor da compra fraudada para pagar a própria fatura do cartão de crédito.

Nesse caso, é fácil cair em uma bola de neve de endividamento e aumentar cada vez mais os valores devidos à operadora de cartão, uma vez que os juros do crédito rotativo são os maiores do mercado.

Cancelamento da transação

Muitas credenciadoras possuem tecnologias e procedimentos de fiscalização automáticos que identificam operações suspeitas em suas maquininhas.

Ao verificar que o cartão do próprio titular da máquina (ou o de um parente) foi usado na transação, a empresa pode bloquear a operação e conduzir um processo de apuração.

Nesse caso, a credenciadora exigirá documentos que comprovem a realização de uma compra no estabelecimento, como a nota fiscal.

Se for confirmado que você passou o cartão na sua maquininha para ter acesso ao dinheiro, a empresa pode cancelar a operação e fazer o estorno do valor.

Veja os riscos de vender sem nota fiscal

Perda da maquininha

Ao identificar uma fraude de autofinanciamento, a credenciadora pode cancelar o contrato e retirar a maquininha do titular.

Isso porque essa restrição consta nos termos de uso das empresas que fornecem máquinas de cartão.

Se você insistir nessa prática, pode perder a maquininha que utiliza para receber pagamentos no seu negócio e ter dificuldades para solicitar uma nova.

Acusação criminal

Por fim, o pior risco que você corre ao passar seu cartão na sua maquininha é o de uma acusação criminal.

Como vimos, o autofinanciamento e autoempréstimo podem ser considerados crimes contra o sistema financeiro nacional, que são apurados pelo BC e suas instâncias reguladoras.

As penalidades variam desde multas até a prisão, dependendo da gravidade e dos valores envolvidos.

Além disso, se você permite que parentes e pessoas próximas passem o cartão de crédito na sua maquininha para obter os valores, pode ser acusado de agiotagem.

Lembrando que a pena prevista para agiotas no país é de 6 meses a 2 anos de detenção e multa.

Emprestar dinheiro no cartão de crédito é crime?

Não, emprestar dinheiro no seu cartão de crédito para outra pessoa não é crime, mas é totalmente desaconselhável.

Por mais que você confie na pessoa que utilizou o cartão, quem está com o nome sujo ou não consegue crédito está, naturalmente, em dificuldades financeiras.

Nessa situação, a pessoa tem um orçamento completamente imprevisível.

Então, há um alto risco de que, mesmo com a intenção de pagar, ela não consiga enviar o dinheiro quando a fatura chegar.

Nesse caso, você não tem outra alternativa a não ser assumir a dívida e fazer o pagamento, se não quiser ficar endividado e sofrer com a ação dos juros.

Afinal, o cartão de crédito é um instrumento de pagamento pessoal e intransferível e toda compra realizada com ele fica vinculada ao seu CPF ou CNPJ do MEI.

Logo, você corre o risco de acabar com uma dívida que não é sua, sem que nada possa ser feito a respeito.

Além disso, a pessoa irá utilizar o limite de crédito que deveria ser destinado a custos e investimentos do seu negócio.

Investimentos para MEI: como e onde aplicar bem seu dinheiro?

Já imaginou ficar sem crédito para o seu MEI e ainda acabar em situação de inadimplência por ter emprestado seu cartão?

Como evitar o empréstimo pela máquina de cartão

Agora que você já sabe que não deve passar seu cartão de crédito na sua maquininha, vamos ajudar com dicas de organização e gestão financeira para nunca precisar desse método.

Confira:

Separe as finanças pessoais das receitas do MEI

O primeiro passo para organizar as contas da sua MEI é separar suas finanças pessoais das empresariais.

Isso é fundamental para garantir que você não use o caixa da empresa para retiradas pessoais e acabe prejudicando a saúde financeira do seu negócio.

Da mesma forma, evita que você invista mais do que poderia na empresa e tenha problemas com seu orçamento pessoal.

Além disso, você terá clareza sobre o faturamento e o lucro gerado no MEI, e ainda terá maior controle sobre os custos do negócio.

Abra uma conta PJ para receber pagamentos

Uma forma eficiente de separar as finanças pessoais das empresariais é abrir uma conta exclusiva para sua MEI com o seu CNPJ.

Com a conta digital MEI Fácil por Neon, por exemplo, você pode receber o dinheiro das vendas realizadas na maquininha, emitir boletos de cobrança, pagar contas, fazer transferências e muito mais — tudo pelo aplicativo e sem taxas.

E você ainda recebe um cartão MEI Fácil para fazer suas compras no débito e saques.

Conheça o Cartão de Crédito da MEI Fácil por Neon

Faça seu controle financeiro

Para não ter que recorrer ao autofinanciamento na maquininha, é importante que você tenha suas finanças sob controle.

Na prática, isso significa acompanhar todas as entradas e saídas (receitas e despesas) do seu negócio, na atividade que chamamos de gestão de fluxo de caixa.

Além disso, é importante que você tenha controle sobre as contas a pagar e a receber, garantindo que as obrigações da empresa fiquem em dia e que não haja problemas com inadimplência de clientes.

Essas tarefas ficam muito mais fáceis com a nossa planilha de controle financeiro MEI gratuita, que permite monitorar cada movimentação financeira da sua conta, gerenciar notas fiscais, controlar formas de pagamento e muito mais.

Fique atento ao endividamento

As dívidas são as maiores inimigas da saúde financeira da empresa quando saem do controle.

No entanto, quando se mantêm em um patamar saudável, elas são importantes para o crescimento do seu negócio.

Afinal, você precisa investir para expandir sua MEI e alcançar um faturamento maior — e muitas vezes esses recursos vêm de empréstimos.

Por isso, cuide para que seu nível de endividamento se mantenha aceitável e sirva para impulsionar seus negócios.

Uma boa referência é não deixar que parcelamentos e prestações ultrapassem 30% da sua renda/faturamento.

Confira 9 dicas para controlar o cartão de crédito da MEI

Faça empréstimos seguros

Se não for possível fugir do crédito, você tem muitas opções para fazer empréstimos seguros e que não envolvem fraudes em maquininhas de cartão.

Você pode buscar linhas de empréstimos e microcrédito específicas para o microempreendedor individual, que têm condições de pagamento vantajosas e juros mais acessíveis em diversas instituições financeiras.

Ou, ainda, utilizar seu crédito pessoal para conseguir o dinheiro necessário para investir, se tiver condições atrativas.

Crédito para MEI: Veja opções de empréstimo e microcrédito para sua empresa

Então, ficou claro por que não deve passar seu cartão na sua maquininha em hipótese alguma?

Se você ainda não se formalizou, abra seu MEI o quanto antes e invista no empreendedorismo por necessidade ou oportunidade.

Inscreva-se também na TV MEI Fácil e acompanhe as redes sociais para não perder nenhuma novidade: Instagram e Facebook.