A saúde financeira da empresa é a preocupação central de toda MEI.

Só quem empreende sozinho sabe como é complicado manter as finanças em dia e garantir o lucro mês a mês.

Por isso, é preciso acompanhar de perto o caixa e buscar formas de reduzir custos e aumentar as receitas.

Vamos ajudar você a cuidar da saúde financeira da sua empresa em alguns tópicos:

Leia até o fim e deixe sua MEI no azul.

Saúde financeira da empresa: uma prioridade para a MEI

A saúde financeira da empresa é prioridade absoluta em qualquer negócio – e é ainda mais importante para a MEI.

Afinal, estamos falando de uma microempresa individual que conta com recursos limitados para crescer e depende 100% do esforço do empreendedor.

Por isso, o microempreendedor precisa acompanhar de perto seus números e ter um controle diário de suas finanças.

Caso contrário, a empresa pode entrar no vermelho e dificilmente o empreendedor terá recursos suficientes para se recuperar.

De acordo com uma pesquisa do Sebrae publicada na Istoé Dinheiro, 3 em cada 10 MEIs fecham as portas em até 5 anos de atividade no Brasil.

Isso representa uma taxa de mortalidade empresarial de 29%, que é considerada altíssima.

Via de regra, quanto menor a empresa, maior a dificuldade de enfrentar crises e se reerguer após uma fase difícil.

Felizmente, um bom controle financeiro pode afastar sua empresa dessa estatística e abrir caminho para um crescimento sustentável.

Conheça os 30 conceitos financeiros essenciais à vida do MEI

7 pontos a avaliar ao medir a saúde da sua MEI

Se você está em dúvida em relação à saúde financeira da sua empresa, temos algumas dicas para ajudar no diagnóstico.

Confira.

1. Fluxo de caixa

O fluxo de caixa é o conjunto de entradas (ganhos) e saídas (gastos) que formam toda a movimentação financeira da sua MEI.

Se você olhar apenas para o dinheiro que tem em caixa neste momento, não poderá dizer como está a situação financeira da empresa, porque você precisa olhar para tudo que entra e sai do caixa ao longo do mês.

Por exemplo, você pode ter um saldo positivo de R$ 1 mil agora, mas daqui a dois dias ter que pagar R$ 800 para um fornecedor, pagar uma conta de luz de R$ 150, receber mais R$ 400 de uma venda a prazo, e por aí vai.

Ou seja: os valores vão mudando ao longo do mês, e o que importa é o resultado do período, que pode ser positivo ou negativo.

Daí a importância de acompanhar seu fluxo de caixa e não considerar apenas o dinheiro que você tem disponível no momento.

2. Custos

Não adianta vender muito se você tiver custos altíssimos que jogam o lucro lá para baixo, certo?

Por isso, você precisa ficar de olho em todas as despesas da sua MEI, que podem ser divididas em duas principais categorias:

  • Custos fixos: são custos necessários para o funcionamento da empresa que não variam conforme a produção e vendas, como aluguel do espaço, salário de funcionário, internet etc
  • Custos variáveis: são custos que variam de acordo com o ritmo de produção e vendas, como as compras de fornecedores, comissões, impostos etc.

Então, você precisa saber exatamente quais são esses custos, como eles têm evoluído e qual o impacto deles no seu lucro – lembrando que o objetivo é sempre reduzir custos.

Entenda quais são as despesas fixas e variáveis da sua MEI

3. Impostos

O microempreendedor tem o privilégio de ter um regime tributário próprio chamado Sistema de Recolhimento em Valores Fixos Mensais dos Tributos Abrangidos pelo Simples Nacional (SIMEI).

Ao contrário de todas as outras empresas, a MEI paga apenas um valor fixo mensal que já soma a contribuição ao INSS com um valor simbólico referente ao imposto devido.

Esse valor é recolhido por meio do Documento de Arrecadação do Simples Nacional (DAS MEI), que deve ser pago todo mês até o dia 20.

Em 2021, estes são os valores de acordo com a atividade da MEI:

  • Indústria e comércio: R$ 56 (R$ 55 de INSS + R$ 1 de ICMS/ISS)
  • Prestação de serviços: R$ 60 (R$ 55 de INSS + R$ 5 de ICMS/ISS)
  • Comércio e serviços: R$ 61 (R$ 55 de INSS + R$ 6 de ICMS/ISS).

É muito importante manter os impostos em dia para não ter problemas com a Receita Federal.

Em 2021, por exemplo, as empresas MEI tiveram até setembro para regularizar seus débitos, e as que não pagaram foram inscritas em Dívida Ativa.

As consequências disso vão desde a perda de qualidade de segurado do INSS até a dificuldade na obtenção de empréstimos.

4. Liquidez

A liquidez é um KPI (indicador-chave de desempenho) financeiro que mostra quanto a empresa tem disponível em caixa para arcar com suas despesas de curto prazo.

Para chegar a esse valor, basta subtrair o passivo circulante (dívidas que devem ser pagas em breve) do ativo circulante (bens e direitos que podem ser convertidos em dinheiro).

Fazendo essa conta simples, você descobre se está com a liquidez em dia para pagar as contas.

5. Lucratividade

A lucratividade é um KPI que define a capacidade de geração de lucro da sua MEI.

Para encontrar esse valor, você só precisa dividir o lucro líquido (dinheiro que sobra depois de subtrair todos os custos da empresa) pela receita bruta (dinheiro total das vendas), depois multiplicar por 100 para chegar à porcentagem.

Por exemplo, se você teve um lucro líquido de R$ 4 mil e faturou R$ 5 mil no mês, significa que a lucratividade foi de 8%.

Quanto maior essa porcentagem, mais lucrativa é sua MEI.

A ideia é acompanhar a lucratividade para descobrir se você está evoluindo.

Veja também a diferença entre lucratividade e rentabilidade

6. Endividamento

Não dá para falar de saúde financeira da empresa sem pensar no endividamento, não é mesmo?

Para controlar esse índice, acompanhe de perto as dívidas do negócio para ter a certeza de que o faturamento é suficiente para arcar com todas as obrigações.

Lembrando que nem toda dívida é ruim.

Um empréstimo para comprar um novo equipamento e aumentar a produtividade, por exemplo, é um investimento positivo no futuro da sua MEI.

Veja quais as opções de crédito para MEI

7. Capital de giro

Por fim, o capital de giro é a reserva financeira que você precisa ter em caixa para cobrir as despesas do negócio e garantir seu funcionamento.

Em uma loja, por exemplo, você precisa comprar produtos de fornecedores primeiro para depois ganhar dinheiro com as vendas, certo?

Enquanto o faturamento não entra, as contas da empresa continuam girando e é preciso pagar despesas como aluguel, contas de consumo, fornecedores, etc.

E ainda tem as vendas a prazo, que demoram mais para cair na conta do negócio.

Logo, o capital de giro é o dinheiro que cobre todos os custos até que o dinheiro das vendas fique disponível.

Para garantir a saúde financeira da empresa, você precisa ter sempre esse valor de reserva em caixa e utilizar o mínimo possível, conciliando os prazos de pagamento e recebimento.

O que o MEI pode fazer para ter uma empresa saudável

Agora que você tem um diagnóstico da saúde financeira da sua empresa, precisa agir para melhorar seus números.

Confira algumas ações importantes.

Fazer o controle financeiro

O controle financeiro é fundamental para acompanhar as movimentações da empresa e garantir que as receitas sejam maiores que as despesas.

Você pode gerenciar facilmente seu fluxo de caixa, controlar as vendas e monitorar custos com a Planilha de Controle Financeiro MEI.

Assim, você tem um arquivo digital completo para gerenciar suas finanças no dia a dia, sem perder tempo com anotações.

planilha de gastos mei

Reduzir custos

Se você quer lucrar mais, precisa dar aquela enxugada nos custos e cortar qualquer despesa desnecessária.

Por exemplo, ainda tem empreendedor pagando tarifas bancárias para manter uma conta e fazer transferências, quando já existem soluções digitais com serviços gratuitos como a Conta Digital MEI Fácil.

Também é possível economizar nas contas de consumo (luz, água, etc.) e negociar preços com fornecedores.

Investir em estratégias de vendas

A saúde financeira da empresa também depende de estratégias de venda inteligentes para aumentar o faturamento.

Aqui no blog, você encontra muitas dicas para fazer uma promoção, divulgar sua marca do zero e vender mais na sua loja.

Ter uma conta digital PJ

É muito importante separar as finanças da MEI das suas finanças pessoais para ter uma boa saúde financeira.

Para isso, você pode abrir uma conta digital PJ com todas as facilidades para gerenciar sua empresa, como um cartão de débito/crédito empresarial, emissão de boletos de cobrança e maquininha de cartão.

Você encontra tudo isso e muito mais na Conta Digital MEI Fácil, que é feita especialmente para descomplicar a gestão financeira de microempreendedores.

Por onde começo a cuidar melhor da minha empresa?

Agora que você entendeu melhor a questão da saúde financeira da empresa, já pode colocar nossas dicas em prática na sua MEI.

Comece fazendo o controle financeiro básico, que consiste em registrar todos os ganhos e gastos na planilha e acompanhar seus resultados mês a mês.

Dessa forma, você terá uma visão mais precisa das suas finanças e uma base para monitorar outros indicadores financeiros.

Para facilitar sua vida, use o App MEI Fácil, que já vem com todas as funcionalidades para pagar impostos, fazer sua contabilidade, emitir boletos, etc.

Viu como a saúde financeira da empresa é importante?

Confira também como fazer um planejamento financeiro para MEI.

Inscreva-se na TV MEI Fácil e acompanhe as redes sociais para saber dos próximos lançamentos e novidades: Instagram e Facebook.