Suas formas de pagamento atendem às necessidades dos seus clientes ou você tem recebido muitas sugestões para melhorar nesse aspecto?

A verdade é que não dá para escolher a maneira como vai cobrar o cliente só na hora dele pagar. Essa é uma decisão estratégica importante, pois se reflete no faturamento da empresa e no sucesso ou fracasso dela.

É claro que muito ajuda ir conforme a maré. Em outras palavras, oferecer ao cliente as formas de pagamento preferidas por ele.

Como mostra uma pesquisa da Opinion Box, os meios eletrônicos estão entre os mais utilizados no Brasil, com destaque para o cartão de crédito (80%) e débito (66%).

Porém, esse cenário vem mudando, com a entrada de novos formatos digitais, como o QR Code para pagamento via Pix, que já aparece como preferido por 65% das pessoas.

Como empreendedor, você precisa estar sempre a par da evolução do mercado, principalmente em relação aos meios de recebimento.

Vamos ajudar você com este conteúdo, que explica tudo o que precisa sobre formas de pagamento e traz um panorama atualizado sobre os meios de pagamento no Brasil.

O que são formas de pagamento?

Formas de pagamento são as maneiras disponíveis para receber os valores devidos pela prestação de um serviço ou pela venda de um produto.

Eles podem ser físicos, como o pagamento em dinheiro vivo, ou baseados no crédito, como os cartões e os já em desuso talões de cheque.

Há ainda as formas de pagamento eletrônicas, entre as quais estão também os cartões e as carteiras virtuais. Na rotina de um microempreendedor individual (MEI), a estratégia de recebimento é decisiva para o negócio sobreviver, crescer e prosperar.

Afinal, a partir da forma como decide cobrar seus clientes, o MEI viabiliza ou perde vendas.

É o caso, por exemplo, de ser escolhido para prestar um serviço por oferecer o pagamento em boleto bancário ou Pix.

Se o microempreendedor ainda não possui uma conta digital com esse recurso, pode ver o cliente bater na porta dos concorrentes.

Quais as principais formas de pagamento no Brasil?

No tópico anterior, a gente já deixou um spoiler: boleto e Pix são duas formas de pagamento. Mas há muito mais a saber sobre essas e outras opções de recebimento no seu negócio.

A evolução dos meios de pagamento não para e, hoje, existem muitas possibilidades para os clientes e oportunidades para as empresas, facilitando a vida de quem vende e de quem compra.

Conheça as formas de pagamento mais utilizadas no nosso país e como cada uma delas funciona.

1. Dinheiro

Você sabia que uma cédula ou uma moeda nada mais é do que um título ao portador? Isso quer dizer que qualquer pessoa de posse dessa espécie de documento é portadora de algum tipo de crédito, que no caso do dinheiro, é monetário.

A já citada pesquisa da Opinion Box mostra que o dinheiro ainda é uma das formas de pagamento mais usadas, preferida por 73% dos brasileiros.

Para quem vende, a vantagem é receber diretamente o valor cobrado, sem taxas ou impostos, pelo menos não no ato da transação.

Quem compra também percebe vantagens, já que fica livre de uma fatura da operadora do cartão de crédito e seus juros inevitáveis.

2. Cartões

Os cartões de crédito e débito ainda lideram como os meios preferidos para se pagar contas.

Não é para menos, afinal, eles representam uma série de facilidades: uma delas é que a pessoa não precisa carregar dinheiro vivo na carteira o tempo todo.

Essa é também uma medida de segurança já que, com menos pessoas andando com dinheiro, “bater carteira” fica menos atrativo para os criminosos.

Outra vantagem dos cartões, especificamente no caso do crédito, é que eles abrem espaço no orçamento do mês para outras despesas, ao permitir também o parcelamento.

Por essa razão, há quem prefira usá-los como meio de pagamento para despesas imprevistas ou gastos emergenciais.

Já os cartões de débito facilitam o controle financeiro, já que o saldo bancário vai sendo atualizado conforme ele é utilizado.

Esses são motivos de sobra para entender por que tantos consumidores optam pelo pagamento no cartão. Para o MEI, fica a dica para ter a aquisição de uma maquininha entre as prioridades.

3. Boleto

Os brasileiros podem se orgulhar de serem os inventores do boleto bancário, um meio de pagamento que só se usa por aqui.

Criado nos anos 1980, ele se popularizou a partir de 1993, quando foi instituído o código de barras, permitindo que os boletos fossem lidos eletronicamente.

Desde então, o boleto se tornou uma opção principalmente para as pessoas que estão com restrições ao crédito ou que precisam de um meio de pagamento alternativo.

O boleto também é frequentemente usado para cobranças recorrentes. Há instituições de ensino e estabelecimentos varejistas, por exemplo, que trabalham com o carnê de cobrança, no qual se encontram as lâminas para pagamentos das mensalidades.

Dica extra: com a conta MEI Fácil por Neon, você emite boletos com a maior facilidade para vender ainda mais!

Banner com CTA para emitir boleto pela conta MEI Fácil por Neon

 

4. Transferência bancária

Menos popular e cada vez mais em desuso devido ao Pix, a transferência bancária ainda resiste como forma de pagamento nas modalidades de TED ou DOC.

Embora esteja em baixa, ela ainda pode ser a escolha do cliente, principalmente se, por algum motivo, ele não puder usar o Pix.

De qualquer forma, esse é um meio de pagamento cada vez menos comum nas vendas, sendo mais comum em transações entre pessoas físicas.

Além disso, pode haver a cobrança de tarifas, especialmente em bancos tradicionais, sobretudo aplicadas a contas bancárias de empresas, como no caso do MEI.

Não é o que acontece com clientes da conta MEI Fácil por Neon, que podem realizar TED sem custos, assim como acontece com o Pix.

5. Carteira virtual

As carteiras virtuais são uma alternativa aos bancos e são usadas para pagamentos em compras online. A mais conhecida delas, o PayPal, é aceita em quase todo o mundo, uma opção a mais para quem vende pela internet.

Nessa modalidade de pagamento, a pessoa pode usar seu próprio e-mail para pagar, desde que a carteira virtual tenha saldo.

Na hora da compra, ela preenche o campo com o seu endereço eletrônico e o pagamento é feito instantaneamente, permitindo também transferências de um e-mail para o outro.

Algumas carteiras, no entanto, podem trabalhar com números e códigos específicos para esse tipo de operação.

6. Pix

O mais novo xodó dos meios de pagamento foi criado em 2020 pelo Banco Central e caiu nas graças do povo muito rapidamente.

O principal motivo é a agilidade do Pix, no qual a transferência é feita instantaneamente. Além disso, as transferências podem ser feitas fora do horário bancário, caindo na conta na hora instantaneamente.

O sistema funciona a partir de chaves que identificam quem vai receber a transferência. Além disso, a cobrança também pode se dar a partir da leitura de um QR Code.

O Pix ganhou popularidade também devido a sua gratuidade, quando utilizado por pessoas físicas. Ou seja, o cliente gosta de pagar dessa forma, o que é ótimo para quem tem um negócio.

Lembrando que empresas estão sujeitas à cobrança, dependendo das regras da instituição financeira onde o MEI tem conta.

Mais uma vez, não é o caso da conta MEI Fácil por Neon, onde o Pix é gratuito sempre.

Conheça o Pix Cobrança e as vantagens para o MEI.

Entenda o sucesso do Pix como forma de pagamento

Os brasileiros “abraçaram” o Pix de tal forma que o número de chaves cadastradas hoje é mais do que o dobro da população.

Como vimos, motivos para isso não faltam, sendo a instantaneidade e a gratuidade os principais atrativos dessa forma de pagamento 100% digital.

O Pix é uma tremenda evolução, não apenas por ser ágil e com custos mínimos, mas por ajudar a movimentar a economia.

Para MEIs, essa é uma forma de pagamento quase obrigatória, especialmente quando ele usa uma solução moderna e sem custos, como a conta digital MEI Fácil por Neon.

Como aceitar o Pix como forma de pagamento?

Como vimos até aqui, agilidade e praticidade são os termos que melhor definem o Pix.  Além de permitir pagamentos instantâneos, não há nenhuma burocracia para ser aceito como forma de pagamento.

Tudo que o MEI precisa fazer é informar sua chave Pix para o cliente ou mostrar um QR Code para receber pelas suas vendas.

Então, a única exigência é ter uma chave Pix, que pode ser um número aleatório, o CNPJ, seu e-mail ou até o número do celular.

E ainda dá para integrar Pix e boleto, oferecendo dois dos meios mais utilizados pelos clientes em uma única fatura.

Baixe o aplicativo MEI Fácil, abra sua conta e comece hoje mesmo a receber pelo Pix!

Como aceitar cartão de crédito como forma de pagamento?

Para receber por cartão de crédito, você precisará de uma maquininha, com a qual registrará as vendas a partir da passagem do cartão no comércio físico.

E se a venda for online, você precisará de um gateway de pagamento, que fará a intermediação da operação usando os dados do cartão informados pelo cliente.

Vale destacar que, diferentemente do Pix, as operadoras de cartão permitem o estorno em caso de erro na cobrança, representando uma segurança a mais para o cliente.

Qual é a melhor forma de pagamento?

Seria até injusto apontar um meio de pagamento como melhor, em meio a tantas opções. Por isso, o ideal é disponibilizar a maior variedade possível, considerando sempre em primeiro lugar o perfil do cliente e suas necessidades.

Para o MEI, isso significa mais oportunidades de negócio e de crescimento em todos os sentidos.

E se você ainda não se formalizou, aproveite a oportunidade e já abra sua conta MEI agora.

Banner com CTA para abrir a conta MEI Fácil por Neon

Inscreva-se também na TV MEI Fácil e acompanhe as redes sociais para não perder nenhuma novidade: Instagram e Facebook.