Quer saber como ganhar dinheiro ensinando idiomas e ainda sem precisar sair de casa?

Isso é possível graças ao crescimento do EAD (Ensino a Distância) e ao aumento da procura por cursos de idiomas.

Hoje, você só precisa dominar uma língua estrangeira, ter uma boa didática e mirar no público certo para lucrar dando aulas online.

Mas, para isso, é preciso se planejar e ter um diferencial para atrair alunos.

A seguir, vamos explicar como ganhar dinheiro ensinando idiomas e dar dicas para o MEI que quer seguir nessa área.

Leia com atenção e comece seu negócio o quanto antes.

Como ganhar dinheiro ensinando idiomas: passo a passo

Se você quer saber como ganhar dinheiro ensinando idiomas, precisa se planejar antes de sair vendendo aulas no mercado.

Confira um passo a passo para se dar bem nessa área tanto no mundo online quanto no offline.

1. Escolha um público-alvo

O primeiro passo para ganhar dinheiro ensinando idiomas é definir qual será o seu público-alvo.

Isso muda completamente a metodologia usada, o formato das aulas e o modo como você vai divulgar seu trabalho.

Hoje, os públicos mais comuns desse mercado são:

  • Pré-escola (3 a 5 anos)
  • Fundamental 1 (6 a 11 anos)
  • Fundamental 2 (11 a 15 anos)
  • Ensino médio (15 a 18 anos)
  • Ensino superior
  • Formação para adultos
  • Mestrado, doutorado ou MBA
  • Formação profissional (business)
  • Lazer
  • Terceira idade.

Perceba que cada um desses públicos vai exigir um enfoque diferente nas suas aulas.

Por isso, é importante escolher um nicho com o qual você se identifique e tenha maior facilidade e experiência.

Além dessas divisões, também é possível classificar os públicos pelos níveis de proficiência no idioma (iniciante, intermediário, avançado e fluente).

2. Entenda a demanda do mercado

Depois de escolher um público-alvo, você precisa entender melhor o perfil desses alunos e o que eles buscam em um curso de idiomas.

Alguns públicos valorizam muito os certificados do professor, outros priorizam experiência internacional e mesmo profissionais nativos, por exemplo.

Também existem aqueles que preferem aulas em grupo e os que só aceitam aulas particulares.

A metodologia também é um ponto fundamental, pois uma das maiores dificuldades dos alunos é encontrar um método que se encaixe em sua rotina, necessidades e preferências.

Como professor, você terá que conhecer muito bem seu público-alvo para oferecer exatamente o que ele precisa.

A dica é conversar com potenciais alunos e usar as redes sociais para estudar o comportamento desses consumidores e suas demandas.

3. Escolha uma metodologia

Para ganhar dinheiro ensinando idiomas, você vai precisar de uma metodologia que favoreça a aprendizagem e seja atrativa para os alunos.

Hoje, a maior parte dos cursos de idiomas usa a abordagem sociointeracionista, que ensina o aluno por meio dos diálogos, troca de experiências e ênfase em situações reais.

É importante que o conteúdo seja dinâmico e use exemplos de livros, filmes, músicas e séries atuais por exemplo, além de trazer diálogos cotidianos para as aulas.

Lembrando que aquele modelo de aulas com repetições cansativas e situações completamente irreais não cabe mais no mercado atual.

Os professores de idioma que mais se destacam são aqueles que usam materiais sempre atualizados, conversam com desenvoltura e usam várias mídias nas suas aulas.

4. Crie seu produto

Para se destacar no mercado de ensino de idiomas, você precisa de um produto único, que se diferencie dos outros.

Para começar, é bom ter seu próprio material didático, desenvolvido exclusivamente para as suas aulas.

Você pode utilizar apostilas que já conhece, adaptar o conteúdo ou criar tudo do zero.

Obviamente, ter um material com a sua marca faz toda a diferença para transmitir mais credibilidade.

Nesses tempos de pandemia, a maioria das aulas está sendo realizada 100% online.

Então, estamos falando de formatos como e-books, vídeos, podcasts, apresentações e outros materiais úteis para a aprendizagem.

Outro ponto importante é definir se você irá trabalhar com aulas particulares ou turmas, e quais serão os horários e modalidades oferecidos.

5. Prepare sua estrutura

Supondo que você vá dar aulas online, é preciso ter uma estrutura pronta para atender os alunos.

Primeiro, você tem que decidir se vai utilizar uma ferramenta de videoconferência por conta própria e organizar suas próprias aulas, ou se vai aderir a uma plataforma de ensino de idiomas online.

A vantagem de usar ferramentas simples como Zoom e Google Meet é que você tem total controle sobre suas aulas e alunos — e fica com 100% do pagamento, sem intermediários.

Por outro lado, você terá que captar alunos do zero e investir em marketing para conquistar e reter sua base de clientes.

Agora, se você quer algo mais certeiro de início, pode se inscrever em plataformas como Superprof e Italki, que expõem seu perfil para milhares de alunos em troca de taxas e comissões.

Em qualquer uma das opções, você vai precisar do equipamento mínimo para dar aulas online, que consiste em uma internet com boa velocidade, webcam de alta definição, microfone e um ambiente bem iluminado.

6. Precifique

Na hora de precificar suas aulas, você deve levar em conta os seguintes aspectos:

  • O valor da sua hora de trabalho
  • Os custos que você tem para dar aulas (compra de materiais, conta de internet, tempo de pesquisa, etc.)
  • A expectativa e perfil do seu público
  • Os valores praticados no seu segmento.

Obviamente, professores com maior qualificação e tempo de experiência cobram mais do que iniciantes, assim como profissionais da área de negócios têm aulas mais caras do que aqueles que atendem estudantes do ensino médio.

O importante é que o valor seja suficiente para cobrir seus custos e gerar um lucro mensal coerente com o preço da sua hora de trabalho.

7. Forme turmas

Formar turmas é uma ótima maneira de atrair mais alunos e ganhar mais dinheiro ensinando idiomas.

Você pode dar descontos progressivos para duplas, trios e turmas com mais alunos, por exemplo.

O tempo de aula será o mesmo, mas você terá um lucro bem maior — e muitos estudantes de idiomas gostam de ter colegas para praticar a conversação.

8. Divulgue seu trabalho

Por fim, não adianta ter um produto incrível se ninguém ficar sabendo que ele existe.

Se você quer ganhar um bom dinheiro ensinando idiomas, precisa promover seu trabalho na internet e alcançar o máximo de alunos possível.

Para começar, você precisa de perfis nas redes sociais para se comunicar com seus potenciais alunos (no mínimo, Facebook e Instagram, mas vale apostar no TikTok também).

Alguns professores de idiomas que se destacam nas redes sociais para você conhecer e se inspirar:

Todos esses professores acima estão no Instagram e no TikTok.

O marketing de conteúdo é um ótimo caminho para ganhar visibilidade, então vale postar dicas e materiais interessantes com frequência.

Para professores, um canal no YouTube pode ser uma excelente ferramenta para mostrar um pouco do seu trabalho e conquistar uma audiência.

Veja aqui como divulgar sua marca do zero e vender mais.

Por que ganhar dinheiro com aulas de idiomas?

Ganhar dinheiro ensinando idiomas é uma grande oportunidade em tempos de EAD e alta concorrência no mercado de trabalho.

Só em 2020, a procura por cursos de idioma online cresceu 40%, segundo dados de um portal especializado publicados no Terra em 2021.

A explicação para isso é a busca por qualificação em um momento de desemprego recorde — 14,8 milhões de pessoas estavam sem emprego em maio de 2021 (G1).

Neste cenário, aprender um segundo idioma (principalmente o inglês) é uma forma de turbinar o currículo e ampliar as possibilidades de vagas no mercado de trabalho.

Para você ter uma ideia, falar inglês ainda é um diferencial competitivo, pois os últimos números do British Council e Instituto de Pesquisa Data Popular mostram que só 5% dos brasileiros têm conhecimento na língua e 1% são fluentes (Money Times, 2019).

Para outros idiomas, a representatividade é ainda menor.

Então, nada melhor do que usar seu conhecimento em idiomas para ganhar dinheiro e atender às necessidades de milhares de alunos.

O que é preciso para ensinar idiomas

Se você vai ensinar idiomas de forma independente — sem vínculo com uma escola ou universidade —, não terá que passar pela análise de credenciais e experiência da instituição (somente se optar por uma plataforma).

Mesmo assim, diplomas e certificados são fundamentais para transmitir confiança ao público e conseguir mais alunos.

Para dar aulas, você precisa, no mínimo, dominar as quatro habilidades linguísticas (ler, escrever, ouvir e falar) e ter alguma formação e experiência na área.

Outro ponto muito valorizado pelo mercado são os certificados internacionais, como os da língua inglesa TOEFL (Test of English as a Foreign Language, ou teste de inglês como língua estrangeira) e IELTS (International English Language Testing System, ou Sistema de Avaliação Internacional da Língua Inglesa).

Os alunos também veem como diferenciais a vivência fora do país e ampla experiência em sala de aula.

MEI pode dar aulas de idiomas?

A boa notícia é que, sim, MEI pode ganhar dinheiro ensinando idiomas de forma simples e acessível.

Aliás, abrir uma MEI é a maneira mais fácil de começar a dar aulas com um CNPJ próprio, podendo emitir notas fiscais de serviços para seus alunos e profissionalizar seu trabalho.

Para isso, basta fazer seu registro como microempreendedor individual utilizando o código da Classificação Nacional de Atividades Econômicas, CNAE 8593-1-00, referente a Instrutor de Idiomas — veja nas atividades MEI.

A vantagem é que você consegue abrir sua empresa sem burocracia e pagando o mínimo de impostos. Para o CNAE 8593-1-00 o valor mensal em 2021 do DAS MEI é:

R$55,00 de INSS + R$1,00 de ICMS + R$5,00 de ISS = R$61,00

Para saber mais, veja nosso artigo completo com todas as vantagens do MEI.

Entendeu como ganhar dinheiro ensinando idiomas?

Então, aproveite e veja como abrir uma MEI para começar o quanto antes.