Identificar o CNAE para pizzaria é o primeiro passo da jornada de quem quer empreender com esse tipo de negócio.

Aliás, você sabia que fica no Brasil a segunda cidade do mundo em que mais se consome pizza?

Tudo indica que esse posto pertencerá a São Paulo por muito tempo, a julgar pelo alto consumo do prato, principalmente nas periferias da capital paulista.

Em um mercado tão amplo, a concorrência é sempre proporcional, então, é preciso diferenciais para se destacar.

É isso que vamos mostrar neste artigo.

Avance na leitura e descubra, nos tópicos a seguir, como aumentar suas chances de sucesso ao empreender individualmente no ramo de pizzarias:

Qual o código CNAE de pizzaria?

Se está em seus planos trabalhar com pizzas, anote aí os códigos na Classificação Nacional de Atividades Econômicas para esse tipo de negócio:

  • 5611-2/01: Pizzaria com serviço completo; serviço de alimentação
  • 5611-2/03: Pizzaria (tipo fast-food); serviço de alimentação
  • 5620-1/04: Pizzaria (exclusivamente para entrega em domicílio, sem consumo no local); serviço de alimentação
  • 5620-1/02: Pizzaiolo(a) em domicílio.

Como você deve ter reparado, cada um deles contempla um perfil diferente de pizzaria, dependendo do modelo de atendimento, e nem todos são permitidos para MEI.

Para que serve o código CNAE?

A propósito, o código CNAE é indispensável para a abertura de uma empresa, inclusive MEI, servindo para identificar o negócio junto aos órgãos públicos para fins de tributação.

No Brasil, empresas de diferentes ramos pagam impostos conforme regras diferentes.

Sendo assim, é preciso que cada Pessoa Jurídica (PJ) seja classificada de modo que a Receita Federal saiba que impostos e tributos são aplicáveis.

Uma empresa do segmento industrial, por exemplo, não vai pagar os mesmos impostos que uma prestadora de serviços.

Por isso, o CNAE de uma pizzaria é a forma que o governo tem de saber que o seu negócio se enquadra nesse segmento, podendo assim cobrar impostos e garantir direitos conforme previsto na lei.

MEI pode abrir pizzaria?

O CNAE permitido para MEI é o de pizzaiolo independente com entrega em domicílio (5620-1/02).

Ou seja, você pode começar uma pizzaria como MEI, desde que seja para entregar nas casas dos clientes, não para abrir um espaço com mesas.

Lembrando que, como todo negócio ligado ao ramo alimentício, o de pizzas é fiscalizado pelos órgãos de vigilância sanitária.

Significa que, antes de começar a vender pizzas, você precisará se informar também com a prefeitura sobre eventuais licenças para poder abrir, como o alvará de funcionamento.

Isso se aplica também aos negócios que funcionam exclusivamente por entregas em domicílio, como é o caso do pizzaiolo independente.

Vantagens de fazer pizza para vender

Como as pesquisas mostram, a demanda por pizzas é sempre muito alta, o que justifica a abertura de um negócio nesse segmento.

Uma vantagem bastante considerável é não estar sujeito a oscilações em certas épocas do ano.

Em qualquer estação, todo dia é dia de lucrar vendendo pizza.

Por outro lado, mercados muito amplos são muito mais concorridos, ou seja, é muito fácil abrir uma pizzaria e virar “mais uma” entre tantas.

11 dicas para abrir uma pizzaria como MEI

Já que o mercado de pizzarias é disputado, é preciso investir para se diferenciar.

Outro dado que reforça a necessidade disso é que nunca houve tantos MEIs no mercado como agora.

Em 2021, o Sebrae registrou recorde na abertura de novos CNPJs de MEIs, com um crescimento de 19,8% em relação ao ano anterior: 3,9 milhões de novos negócios.

Nesse cenário de alta competitividade, quem não fizer bem o dever de casa tende a ficar para trás.

Por isso, indicamos a seguir 11 maneiras de você alavancar sua pizzaria.

1. Use as redes sociais

Quem não é visto não é lembrado, diz o conhecido dito popular.

No caso das empresas do ramo alimentício, uma das melhores maneiras de se fazer notar é marcar presença online com páginas nas redes sociais.

Facebook e Instagram são praticamente obrigatórios, mas não deixe de investir também em um número dedicado de WhatsApp para que seus clientes façam pedidos.

Prefira a versão WhatsApp Business, que conta com recursos valiosos para quem está à frente de um negócio.

2. Tenha um atendimento imbatível

Pagar pouco é bom, mas o consumidor brasileiro também valoriza um bom atendimento, algo que está entre os principais atributos em uma compra, como aponta esta pesquisa (PDF).

Atender bem é uma boa maneira de se diferenciar da concorrência.

Lembre-se que, no segmento de alimentação, os produtos podem ser muito parecidos.

Então, para se destacar de verdade, é preciso convencer o cliente de outras formas, entre as quais o atendimento é uma das mais eficazes.

3. Proporcione experiências memoráveis

Como um pizzaiolo ou pizzaiola MEI, você precisará entregar os pratos diretamente em domicílio.

Por que não aproveitar a oportunidade para proporcionar aos seus clientes uma experiência de compra memorável?

Procure mostrar-se sempre solícito, ágil e comprometido com a satisfação do consumidor.

Quanto mais as pessoas repararem o seu empenho em oferecer o melhor produto e serviço, mais elas tendem a voltar a comprar.

4. Monte um cardápio virtual

Desde o início da pandemia, os serviços de delivery vêm registrando sucessivos aumentos no volume de pedidos, e o de pizzas não é diferente.

Uma maneira de se fazer notar online para receber mais pedidos é publicar um cardápio virtual.

Ele pode ser divulgado em aplicativos de vendas, como o Ifood, ou em sites de anúncios.

Ao montar seu cardápio, não deixe de publicar nos sites voltados ao público da sua região.

5. Crie promoções e descontos

Todo negócio tem dificuldade para formar um público cativo no começo, quando as pessoas ainda não conhecem sua reputação.

Uma forma de acelerar o processo é fazer promoções e oferecer descontos, que podem ser vinculadas a compras em certas quantidades.

Por exemplo: ao comprar uma pizza tamanho grande, você pode oferecer grátis uma sobremesa.

Note que as promoções não devem ser a única estratégia para alavancar suas vendas.

Do contrário, as pessoas só vão procurar você por causa dos preços baixos, e isso não é bom no longo prazo.

6. Reduza o tempo de entrega

Outro fator que faz toda a diferença quando se trabalha com delivery é a rapidez na entrega.

Esse pode ser o “fiel da balança” a favor do seu negócio.

Como vimos, o mercado de pizzarias é altamente concorrido, então, todos os detalhes importam.

Um deles é a agilidade na hora de entregar as pizzas.

Você pode recorrer aos aplicativos de entrega ou, se preferir, contar com uma logística independente.

Nesse último caso, lembre-se que você terá um custo com o veículo e, se tiver um entregador, terá que contratá-lo como funcionário.

7. Implemente um sistema de gestão

Tocar um negócio requer muito controle e capacidade de gestão.

Imagine receber diariamente dezenas de pedidos, lidar com os clientes e se ocupar com o preparo das massas e das fornadas de pizza?

Seria impossível controlar tudo isso sozinho sem a ajuda de ferramentas que facilitem a rotina.

Entre essas ferramentas, estão os diversos sistemas de gestão, alguns até desenvolvidos especificamente para pizzarias.

8. Participe do terceiro setor

O terceiro setor é o das ONGs e demais entidades sem fins lucrativos.

Mostrar para os seus clientes que se importa com as causas sociais gera um impacto tremendamente positivo para sua imagem.

Ao mesmo tempo, é uma forma de fidelizar o consumidor com ações promocionais como: “ao comprar uma pizza grande, você contribui com a entidade X”.

Para aumentar a transparência, você pode prestar contas de suas ações beneficentes nas redes sociais.

9. Desenvolva um app

Embora o desenvolvimento de um aplicativo demande um investimento considerável, essa pode ser uma solução comercial de longo prazo que, com o tempo, tende a “se pagar”.

Ou seja, o retorno gerado pelos novos clientes que você poderá conquistar com um app é a melhor justificativa para ter um aplicativo próprio.

Para incentivar as pessoas a fazerem download, você pode conceder descontos exclusivos para aqueles que pedirem via aplicativo.

10. Diversifique o público

Sabores tradicionais como mussarela, calabresa e margherita são quase obrigatórios, mas você não precisa se limitar a essas opções, certo?

O mercado vegetariano e vegano, por exemplo, está em franca expansão, logo, por que não oferecer pizzas para as pessoas que não comem carne e derivados?

Essa é uma forma de diversificar seu público, de maneira que suas vendas se mantenham estáveis, independentemente da moda do momento.

11. Busque avaliações positivas

As avaliações feitas por consumidores são a principal fonte de informação para os brasileiros ao tomar uma decisão de compra, como mostra um artigo no portal E-commerce Brasil.

Por isso, sempre que vender, não deixe de buscar a opinião dos clientes, que podem se manifestar até no próprio Google, nos resultados de pesquisa por localização.

Você pode pedir para o cliente avaliar o seu serviço acessando um formulário por meio de um QR code em seu cardápio ou no ímã de geladeira.

Como vimos neste artigo, o CNAE pizzaria é fundamental, mas tão importante quanto esse código é se preparar bem para atuar no segmento de pizzarias como MEI.