Você sabe como vender lingerie ou ainda está dando os primeiros passos nesse mercado?

Seja qual for o seu estágio, você tem uma grande oportunidade de negócio à frente, pois esse é um segmento promissor para quem é MEI.

Para aproveitar o potencial da moda íntima, você só precisa entender as particularidades do negócio e encantar as consumidoras.

Vamos explicar como nos tópicos a seguir:

Siga a leitura e faça sucesso com a sua MEI de moda íntima.

Como vender lingerie: 8 dicas

Entender como vender lingerie é mergulhar em um universo muito particular no mercado têxtil.

Confira nossas dicas para se dar bem nessa missão.

1. Escolha seu público-alvo

O primeiro passo para ter sucesso vendendo lingerie é escolher um público-alvo para a sua loja.

Você pode até ter várias linhas de produtos diferentes para públicos específicos, mas é importante definir um perfil de cliente principal, que será o carro-chefe do seu negócio.

No mundo da moda íntima feminina, são várias as possibilidades, desde um público mais jovem (teen) até mulheres maduras, estilos mais clássicos ou alternativos, apelo mais sensual ou mais confortável de acordo com os hábitos, e por aí vai.

Então, é importante pensar em perfis com os quais você se identifica e tem maior afinidade, para que as peças sejam a cara das suas clientes.

2. Tenha um conceito

Para vender lingerie, não basta ter bons produtos: é preciso criar um conceito encantador.

Ou seja, sua marca precisa inspirar as consumidoras e traduzir a essência do seu negócio.

Além disso, o nome da empresa precisa estar alinhado ao estilo das peças e à proposta de valor, que é basicamente o que você pretende entregar às suas clientes para melhorar a vida delas.

Um exemplo é a loja Desejo Doce, que tem uma abordagem mais sensual e traz essa ideia no nome e nas imagens do catálogo.

Já a loja Maria das Curvas é voltada ao público plus size e aposta em uma comunicação descontraída – basta olhar para o nome da empresa para entender a proposta.

3. Preste atenção aos tamanhos

Quem vende lingerie precisa ter um bom estoque com a maior variedade de tamanhos possível.

Isso porque uma das principais dores das clientes brasileiras é a falta de padronização de medidas nas peças.

Para tentar resolver esse problema, algumas lojas utilizam sistemas mais complexos, como os sutiãs medidos por tamanho das costas e da taça.

Isso facilita a escolha e aumenta suas chances de fidelizar clientes, pois a mulher que encontra uma lingerie que veste perfeitamente não troca de marca por nada.

Outra dica é incluir tamanhos grandes para atingir também o público plus size e não limitar seu alcance às pessoas magras.

4. Use suas peças e apareça

Na internet, as empreendedoras que vendem lingerie e aparecem como garotas-propaganda de suas próprias peças são um fenômeno.

Isso funciona porque as consumidoras tendem a confiar muito mais na marca quando a dona usa as peças comercializadas e mostra sua qualidade.

Então, se você tiver essa possibilidade, seja a cara da sua empresa.

5. Decida se vai revender ou fabricar

É importante definir se você vai revender peças compradas de fornecedores ou vender lingerie de fabricação própria (ou as duas coisas).

Se optar pela revenda, que é o caminho mais comum, procure diversificar seus produtos e escolher pequenas fabricantes que tendem a oferecer peças mais exclusivas.

É claro que a fabricação própria é diferenciada, porque traz peças únicas e a vantagem da produção sob medida, além de ter um valor agregado muito superior.

Por outro lado, os preços são mais altos e podem limitar o público, e as peças também demoram bem mais para serem produzidas.

6. Ofereça um atendimento personalizado

Outro elemento fundamental na venda de lingerie é o relacionamento com o cliente.

Segundo uma pesquisa realizada pelo Instituto de Estudos e Marketing Industrial (IEMI) e publicada no UOL, 42% das consumidoras brasileiras priorizam um bom atendimento na hora de comprar lingerie.

O índice ficou acima dos descontos e promoções, que atraem 29% do público.

De modo geral, as consumidoras gostam de receber orientações personalizadas e vão preferir sua loja se você oferecer uma pequena consultoria durante as vendas.

Você pode ajudar na escolha do tamanho e indicar a peça certa para o estilo da cliente, de acordo com os critérios que ela mais valoriza como, por exemplo, conforto, sensualidade, elegância, resistência, etc.

Além disso, é importante manter uma comunicação próxima com as clientes e ensiná-las a cuidar das peças que compraram para que durem mais.

7. Acompanhe as tendências

Se você quer vender lingerie, precisa ficar de olho nas tendências do mercado, pois estamos falando de um segmento de moda.

Para 2021, por exemplo, a empresa Hope apontou o crescimento das lingeries com animal print, peças com tons suaves e elegantes, sutiãs e calcinhas com transparências e peças vintage como bodies e corselets.

Quanto mais por dentro você estiver, mais consumidoras deverá atrair com as peças.

8. Abuse das redes sociais

Várias pequenas empresas de lingerie têm se destacado nas redes sociais.

A Lunkes Lingerie, por exemplo, faz sucesso no Tik Tok com vídeos da própria empreendedora promovendo os produtos:

@lunkeslingerie0##modaintima ##lojaonline ##amarni #lingerie ##canoas ##riograndedosul #renda ##lingeri ##sembojo ##lojavirtual ##look ##looks ##canoasrs ##doisirmaosrs♬ original sound – AMARNI

A Prome Lingerie, com uma proposta mais alternativa, também alcança muitas visualizações com seus vídeos:

@promelingerieos signos comprando pro me✨ conta nos comentários se você se identificou!♬ som original – PRO ME. | todos corpos

Veja aqui como fazer um TikTok e alavancar o seu pequeno negócio

No Instagram também não faltam exemplos de pequenas lojas de lingerie altamente criativas que conquistam seguidores com muito bom humor e imagens de impacto.

Lembrando que é muito importante produzir conteúdo relevante para o seu público, como a True Body Store, que dá muitas dicas sobre autoestima e sexualidade.

Veja também sobre o Pinterest para Negócios e como sua MEI pode usar essa rede social!

Por que vender lingerie é boa ideia para a MEI?

Vender lingerie é uma ótima oportunidade para MEI porque exige baixo investimento e tem grande potencial de crescimento.

Por se tratar de moda íntima, existe uma proximidade maior entre vendedor e consumidor, que é mais fácil de desenvolver em uma microempresa.

Além disso, o mercado dá sinais de crescimento contínuo e resiliência diante das crises.

A gigante Hope, por exemplo, teve o maior faturamento da sua história durante a pandemia, com alta de 24% em relação aos últimos anos.

Outro sinal de crescimento é o aumento das buscas por moda íntima no marketplace MercadoLivre.

Conforme publicado no E-commerce Brasil, o segmento ficou em segundo lugar em faturamento no site.

Além disso, é fácil perceber como as lojas de lingerie se multiplicam na internet, especialmente nas redes sociais.

Onde vender lingerie?

De acordo com a pesquisa do IEMI mencionada acima, o canal preferido para comprar lingerie ainda é a loja física, com 72% das respostas.

No entanto, as compras online no segmento crescem cada vez mais e já respondem por 12% das vendas.

Por outro lado, as revendedoras porta a porta vêm perdendo força, talvez por uma questão de mudança de hábitos de consumo.

Uma tendência para ficar de olho é o crescimento das vendas de lingerie pelas redes sociais.

Na pesquisa, 34% das mulheres dizem procurar por peças em plataformas como Instagram e Facebook.

Logo, você pode unir os canais online e offline e apostar na divulgação da sua marca pelas redes sociais.

Veja também como investir nas vendas pelo WhatsApp.

Como abrir loja de roupa íntima como MEI

Abrir sua MEI de moda íntima é a parte mais fácil do processo.

Você poderá fazer todo o procedimento online em poucos passos, informando dados pessoais como nome, endereço, título de eleitor e também dados da empresa como nome e área de atuação.

Uma etapa muito importante da formalização é escolher seu CNAE MEI (Classificação Nacional de Atividades Econômicas), que indica o ramo de atividade da sua empresa e define questões importantes como tributação e licenciamento.

No caso da moda íntima, é possível se registrar como Comerciante De Artigos Do Vestuário E Acessórios ou ainda Fabricante De Partes De Roupas Íntimas – Facção, CNAE 1411-8/02.

Veja aqui a lista completa de atividades permitidas.

Para não ter dúvidas de como abrir sua MEI, confira nosso passo a passo.

No final do processo, você terá seu CNPJ emitido e poderá começar a vender imediatamente.

Como tirar foto de lingerie para vender

Vamos fechar com algumas dicas para tirar fotos de lingerie para vender, já que boas imagens são essenciais para atrair clientes.

Confira:

Escolha modelos diversas

Cada vez mais, as marcas de lingerie se preocupam em mostrar corpos diversos e provar que seus produtos se adaptam aos mais variados públicos.

Então, é importante tirar fotos dos seus produtos vestindo mulheres de todos os tamanhos, etnias e estilos.

Prepare cenários

Os cenários fazem toda a diferença nas fotos de moda íntima na hora de transmitir seu conceito.

Veja como a Mona Bella Moda Íntima explora diferentes paisagens para valorizar seus produtos ao vender lingerie.

Tenha um estilo próprio

Estilo é muito importante na fotografia de lingeries, pois cada marca tem sua proposta e isso deve ficar claro nas imagens.

Veja como a Honey Bunny explora o conceito de conforto:

E como a Ju Maschio se diferencia com fotos mais misteriosas e com enquadramentos criativos:

Use técnicas de fotografia

A MEI também pode usar técnicas de fotografia simples e acessíveis para ter fotos com qualidade profissional.

Temos um artigo completo sobre como tirar fotos de produtos para vender com muitas dicas valiosas.

E então, gostou das dicas de como vender lingerie?

Aproveite e veja também como abrir uma loja de roupas.

Se inscreva na TV MEI Fácil e acompanhe as redes sociais para não perder nenhuma novidade: Instagram e Facebook – e faça parte do Grupo MEI Fácil no Facebook.