Quem busca ser um empreendedor bem-sucedido precisa antes aprender como ser um bom vendedor. A razão para isso é fácil de entender: não há empresa que sobreviva sem clientes, então você deve vender a sua ideia de negócio para atrair e fidelizar consumidores, garantindo a competitividade no mercado.

Mas é difícil trabalhar com vendas? Será que você tem o que é preciso para isso? Ou talvez ser um bom vendedor é um dom que só algumas pessoas possuem?

Se tem dúvidas como essa, não se preocupe: ainda que a princípio não se identifique com as competências e habilidades necessárias para a função, você pode desenvolvê-las.

Sim, é possível evoluir, aprender dia após dia e dominar a persuasão ao oferecer o seu produto ou serviço.

Quer saber como? Comece acompanhando este texto até o final!

Como ser um bom vendedor em 8 dicas

O primeiro passo para aprender como ser um bom vendedor você está dando agora: buscando conhecimento para evoluir na atividade. Tenha em mente justamente isso: as vendas exigem que você melhore um pouco a cada dia para superar objeções que certamente vão surgir.

Ser um bom vendedor requer uma série de habilidades, como paciência, humildade, determinação e entendimento de mercado (sobre o negócio e seus concorrentes). Também é preciso saber negociar, tanto presencialmente como por canais tecnológicos (como redes sociais ou WhatsApp).

Além disso, é fundamental que o vendedor transmita confiança e seja capaz de cumprir com suas ofertas, agindo com empatia e transparência.

E esse é só um resumo. Para dominar a arte das vendas, siga as dicas valiosas abaixo.

1. Seja um bom planejador

Ser um bom vendedor envolve, antes de tudo, saber planejar as suas ações. Um microempreendedor individual (MEI), ainda que tenha um funcionário o ajudando, tem muito a fazer no dia a dia.

Ele precisa cuidar da gestão da empresa em seus variados aspectos, mas nunca pode abdicar das vendas, pois são elas que permitem ao negócio sobreviver e crescer. Como dar conta de tudo, então? Só com planejamento e organização.

Comece estabelecendo horários para as suas atividades, incluindo as rotinas de prospecção e vendas. Organize seu dia de maneira a atender todos os compromissos de forma pontual, sem nunca deixar o cliente em segundo plano.

Em alguns nichos, o processo de venda é mais consultivo e exige reuniões e uma negociação mais longa. Esteja preparado para tudo isso.

2. Tenha empatia com o consumidor

Para ser um bom vendedor, é muito importante ter empatia com o cliente.

Essa é a habilidade comportamental de se colocar no lugar do outro, de entender suas dores e procurar responder a elas.

Nas vendas, a empatia ajuda a entender de que forma aquilo que você oferece realmente vai ajudar o cliente. Com essa descoberta, fica mais fácil reforçar esse ponto na oferta e, por consequência, mais você se aproxima da venda.

Quando você prioriza ouvir o cliente em vez de falar, também tem a chance de melhorar o seu negócio, oferecendo soluções mais adequadas ao seu nicho de mercado.

3. Seja simpático e agradável

Seja pessoalmente ou por telefone, o fato de ser atendido por um vendedor mal-humorado e grosseiro é uma experiência muito frustrante, concorda? Sendo assim, ser simpático e agradável é o mínimo que você pode fazer para tornar o seu negócio ainda mais atraente.

Mostre-se sempre cordial e aberto ao diálogo, use o bom humor e demonstre para o cliente os motivos que tornam comprar com você a melhor opção para ele.

4. Mapeie e defina o público-alvo

Nem todo produto ou serviço se enquadra a qualquer perfil de consumidor. Portanto, é inútil utilizar as técnicas de venda com todos os públicos sem conhecer suas particularidades e anseios.

Procure mapear e definir o público-alvo para todo o mecanismo de atração de clientes ser direcionado a consumidores em potencial com interesse real naquilo que você tem a oferecer.

Dessa maneira, não só você chegará rápido ao cliente, mas ele também se tornará capaz de encontrá-lo quando precisar dos seus produtos ou serviços.

5. Conheça bem os produtos ou serviços

Não há como ser um bom vendedor sem conhecer bem os produtos ou serviços oferecidos. O que ele faz? Qual seu diferencial? Por que o cliente deveria comprar agora?

Quando se é dono do próprio negócio, pode parecer fácil responder a questões como essa.  Afinal, você é o criador da sua empresa. Contudo, é preciso estar atento às particularidades, a fim de ser capaz de sanar dúvidas e fazer comparativos.

Para isso, será preciso estudar bastante, inclusive os produtos e serviços da concorrência. Dessa forma, você conseguirá passar mais autoridade para o cliente em potencial, aumentando as chances de ele fechar a venda.

6. Identifique a demanda de cada cliente

Mesmo que você trabalhe com poucos produtos e serviços, é preciso saber identificar a demanda do cliente com estratégia. Você pode fazer isso praticando a empatia, ouvindo as necessidades dele e analisando como o seu negócio pode se adequar a elas.

Assim, consegue encontrar formas de oferecer as soluções mais valiosas, talvez até de maneira personalizada, o que pode agregar mais valor para o seu negócio.

7. Seja persistente

São muitos os desafios de um vendedor, como concorrência, preço, prazo e a tradicional ansiedade. Não por acaso, a persistência é fundamental para os resultados esperados serem alcançados.

Há algumas vendas difíceis, envolvendo clientes mais exigentes ou até desconfiados. Por melhor que seja o seu produto ou serviço, o processo pode se estender de forma cansativa.

Ainda nesses casos, o desfecho da venda depende de você. É importante apostar no relacionamento constante com o cliente para mantê-lo motivado na compra. Talvez não feche a venda hoje e está tudo bem assim. Amanhã, o dia pode reservar uma oportunidade certeira.

8. Faça um trabalho de pós-venda de qualidade

A boa experiência de compra faz toda a diferença para a fidelização de clientes. Veja da seguinte forma: você e seu negócio precisam dar motivos ao consumidor para ele poder voltar a comprar. E como fazer isso? Um dos segredos do pós-venda está no relacionamento.

Mais do que lembrar o cliente a todo o momento sobre as suas ofertas, você precisa estar disponível para quando ele precisar. Nesse sentido, o atendimento que o consumidor recebe após a compra faz toda a diferença.

Dúvidas sobre o produto adquirido, por exemplo, precisam ser resolvidas rapidamente e de forma gentil.

Como ser um bom vendedor pelas redes sociais?

Com a popularização da internet e de dispositivos conectados a ela, as vendas pelas redes sociais se tornaram parte do nosso dia a dia.

É muito cômodo para o cliente comprar sem sair de casa, encontrando produtos e serviços de seu interesse nas plataformas online que mais utiliza.

Algumas dicas sobre como ser um bom vendedor que vimos neste texto se aplicam também às redes sociais, entre elas: planejamento, persistência e atendimento de qualidade. Mas não fique por aí.

Use e abuse da criatividade em suas publicações e avalie ainda o investimento em mídia paga, os chamados impulsionamentos, para que sua marca fique em evidência.

Veja alguns pontos que precisam constar em seu planejamento de vendas:

  • Organização: faça um planejamento recorrente, que pode ser semanal, quinzenal ou mensal, dos conteúdos a serem postados nas redes
  • Planejamento estratégico: é importante pensar em como você quer ver o seu negócio posicionado no mercado. Para isso, você deve considerar o seu público-alvo e a concorrência
  • Disciplina: é preciso garantir a recorrência dos conteúdos e que eles sejam mesmo relevantes para o seu público
  • Comunicação interpessoal: ofereça retornos aos clientes, respondendo a dúvidas e interagindo em comentários para garantir engajamento
  • Domínio de ferramentas tecnológicas: como ser um bom vendedor nos tempos atuais envolve ter conhecimento de como funcionam as redes sociais, principalmente Instagram, Facebook e WhatsApp
  • Gatilhos mentais para vendas e marketing: técnicas de convencimento do cliente passam muito por tocá-lo emocionalmente, o que pode se dar por necessidade de urgência, escassez ou outro ponto de preocupação que funcione como gatilho para a compra.

Vendedor pode ser MEI?

Sim, vendedor pode ser MEI. Inclusive, essa é uma das melhores formas de iniciar sua jornada empreendedora, com uma série de vantagens a considerar.

O microempreendedor individual tem direito a benefícios previdenciários e fiscais, além da facilidade de comprar mais barato junto a fornecedores que exigem CNPJ e emissão de nota fiscal.

Para ser um vendedor MEI, é preciso escolher um código da Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE) que esteja na lista de atividades permitidas.

Confira a lista completa de quem pode ser MEI.

Entre as ocupações permitidas, estão:

  • Vendedor(a) Ambulante de Produtos Alimentícios (CNAE 5612-1/00);
  • Comerciante de Artigos e Alimentos para Animais de Estimação (CNAE 4789-0/04);
  • Comerciante de Artigos de Armarinho (CNAE 4755-5/02);
  • Comerciante de Artigos de Cama, Mesa e Banho (CNAE 4755-5/03);
  • Comerciantes de Artigos de Bebê (CNAE 4789-0/99);
  • Comerciante de Artigos de Caça, Pesca e Camping (CNAE 4763-6/04);
  • Comerciante de Artigos de Joalheria (CNAE 4783-1/01);
  • Comerciante de Artigos de Viagem (CNAE 4782-2/02).

Banner com CTA para abrir a conta MEI Fácil por Neon

Aproveite para se inscrever na TV MEI Fácil e acompanhe as redes sociais para não perder nenhuma novidade: Instagram e Facebook.