O consumidor cada vez menos carrega dinheiro no bolso e, cada vez mais, compra no cartão de crédito ou débito. Quantas vezes você ouviu do seu cliente: “Passa cartão?”. Pois bem, não perca vendas porque você não tem sua máquina de cartão.

Na hora de decidir surge aquela dúvida: mas qual máquina de cartão é a melhor? Há várias opções no mercado, mas sua escolha deve se adequar ao seu bolso e ao seu tipo de negócio. A escolha errada da máquina pode trazer mais prejuízos e dores de cabeça do que facilidades.

Coloque no papel os critérios e as marcas que você está pesquisando, tome nota e invista um tempinho para avaliar com cuidado os critérios abaixo:

1 – Alugar ou comprar?

Essa é a primeira questão. As duas opções podem ser boas, mas dependem da marca do produto que você quer adquirir. Algumas marcas trabalham apenas com o aluguel e oferecem outros benefícios por isso.

No caso da compra do equipamento, geralmente é possível parcelar no cartão de crédito, mas não no boleto. Após pagar as parcelas a maquininha é sua então importante avaliar a garantia oferecida, se não o barato pode sair caro. Para o MEI acreditamos que comprar é a melhor opção. Além dos pontos listados acima, você não terá que se preocupar com reajustes no preço do aluguel no próximo período.

2 – Quais são as reais taxas?

Talvez esse seja o mais difícil de comparar, pois todas as marcas fazem promoções e algumas vezes não deixam claro como irá funcionar após o período promocional. A forma mais simples de pensar é “simular” uma venda de R$ 100,00 e ver o quanto irá cair efetivamente em sua conta. Compare as 4 taxas que:

a) taxa no débito

b) taxa no crédito

c) taxa no crédito parcelado

d) taxa quando você escolhe receber adiantado, que é chamado de antecipação.

O exemplo que vamos dar é da maquininha da SumUp, que é uma de nossas parceiras. Após o período promocional que tem 1% de taxa no débito e crédito os valores passam a ser:

Marcas com regras mais simples serão mais fáceis de comparar na hora da compra e consequentemente de acompanhar no dia a dia.

3 – Modelos – melhor pra você e seu dia a dia

Você é um feirante? Acha que na correria das vendas de domingo será possível usar a maquininha que é conectada no celular? Já você que trabalha como manicure ou venda de roupas em domicílio os modelos pequenininhos podem ser a melhor opção. Ou seja, faça uma reflexão sobre o seu dia a dia de trabalho. Tem ou não tem wifi? Exige ou não bastante agilidade? Desta forma você saberá se vale a pena investir um pouco mais no modelo mais adequado.

4 – Bandeiras que a máquina de cartão aceita

Leve em consideração as bandeiras disponíveis para a transação. Não é importante a quantidade e sim o que seus clientes mais pedem, não tem muito segredo nesse quesito. Atenção para o setor de alimentação, provavelmente você precisa aceitar vale e nesse caso, sim tem regrinhas mais específicas.

5 – Recebimento

Tão importante quanto facilitar para que o cliente lhe pague é facilitar para que você receba seu dinheiro! Todas as marcas oferecem antecipação, mas avalie o custo! Outra facilidade que você encontra no mercado é de ter um cartão para receber suas vendas, é uma ótima opção se você não tem conta em banco ou prefere separar seu dinheiro pessoal do dinheiro da empresa.

Ter uma máquina de cartão traz credibilidade, evita calote dos clientes e possibilita que você venda mais!

Dúvidas, sugestões ou comentários? Comenta o texto que vamos responder! Confira também nossas redes sociais Facebook, Instagram e Youtube que todo dia postamos novidades. Ser MEI ficou fácil de verdade!