Para quem trabalha como cabeleireiro, a opção de ter um CNPJ MEI pode trazer alguns benefícios. A abertura de um CNPJ MEI oferece algumas vantagens para os profissionais. Você sabe como abrir MEI para cabeleireiro?

O setor de estética e beleza tem sido bastante promissor nos últimos anos, tornando-se uma oportunidade para profissionais independentes. A modalidade atende microempreendedores com faturamento anual de até 81 mil reais.

Como abrir MEI para cabeleireiro?

Para quem está começando a atuar nesse setor, a formalização é feita pela internet. O CNPJ MEI, a inscrição na Junta Comercial, no INSS e o Alvará Provisório de Funcionamento são obtidos imediatamente, através do documento único, que é o Certificado da Condição de Microempreendedor Individual – CCMEI.

Não há a necessidade de assinaturas ou envio de documentos e cópias.

Cabeleireiro pode ser MEI?

Sim, cabeleireiros podem ter um CNPJ MEI. A categoria permite também formalizar outras profissões do setor de estética, como manicure, depiladora, entre outras.

O cabeleireiro interessado em ter uma empresa deve fazer sua inscrição no programa do microempreendedor individual. O processo de como abrir MEI para cabeleireiro é simples, e a MEI Fácil te ajuda com a burocracia!

Ter um negócio próprio e regularizado podem trazer muitos benefícios para cabeleireiros. Crédito e contas bancários jurídicas, emissão de notas fiscais, benefícios previdenciários e até mesmo Planos de Saúde com valores diferenciados são algumas das vantagens.

Para quem trabalha em salões de beleza há também a possibilidade de propor um contrato de parceria com as empresas contratantes com um CNPJ MEI.

O que é a Lei do Salão Parceiro?

A lei 13.352/2016, conhecida como lei do salão parceiro, entrou em vigor no início de 2017. Ela surgiu com o intuito de regularizar a contratação de cabeleireiro, manicures, depiladoras e outros profissionais de salão de beleza.

Criada com o intuito de reduzir a informalidade do setor, a lei do salão parceiro contribui ainda para a redução de tributos ao contratante, pois reduz os encargos obrigatórios com os profissionais. Já para o MEI, oferece mais segurança, pois além dos benefícios, possibilita que ele negocie com o contratante as condições de trabalho.

É importante ressaltar que um salão de beleza não pode ser registrado com um CNPJ MEI, apenas os profissionais que trabalham nele. O estabelecimento devem descrever na nota fiscal com o valor pago ao microempreendedor individual.

Dúvidas, sugestões ou comentários? Comente o texto que vamos responder! Confira também nossas redes sociais FacebookInstagram e Youtube que todo dia postamos novidades. Ser MEI ficou fácil de verdade!